Aconteu
Dívida pública supera 130% do PIB

A dívida das administrações públicas superou os 130 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre deste ano.

De acordo com dados preliminares do Boletim Estatístico do Banco de Portugal, divulgados dia 22, o total da dívida das administrações públicas atingiu os 214 573 milhões de euros, o equivalente a 131,4 por cento do PIB, segundo os critérios utilizados pela troika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu).

A dívida pública mantém deste modo a sua trajectória ascendente, somando novo agravamento ao registado no final primeiro trimestre do ano, altura em que atingiu os 127,1 por cento do PIB, contra 123,8 por cento registados em Dezembro de 2012.

Segundo as metas definidas na sétima avaliação da troika, a dívida pública portuguesa não deveria ultrapassar os 122,9 por cento do PIB no final de 2013.

Na mesma semana, a Direção-Geral do Orçamento revelou que o défice público atingiu os 5520 milhões de euros, ou seja, um agravamento superior a dois mil milhões de euros, comparado com o mesmo período de 2012.

Também a actividade económica registou em termos homólogos uma queda de 1,1 por cento e o consumo privado caiu 3,1 por cento.


Receita fiscal aumenta à custa do IRS

té ao mês de Julho os cofres do Estado arrecadaram 19 148,9 milhões de euros, mais 1357 milhões de euros do que nos mesmos meses de 2012. Este resultado foi obtido através do brutal agravamento dos impostos directos que, em termos homólogos, aumentaram 21,4 por cento entre Janeiro e Julho deste ano.

O IRS, Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares, foi aquele que mais aumentou (+36,8%), tendo o Estado recolhido 5 824,9 milhões de euros por esta via, ao passo que o IRC, Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Coletivas, aumentou sete por cento, gerando uma receita de 2998,9 milhões de euros.

Já os impostos indirectos registaram uma queda homóloga de 1,9 por cento até Julho deste ano, acelerando o ritmo de contracção (em Junho, tinham caído 1,4 por cento), tendo sido cobrados nesta rubrica 10 321,2 milhões de euros.

O Imposto Único de Circulação caiu a pique (-26,1%), assim como o Imposto Sobre Veículos (-14%).


Cinemateca em risco de fechar

A Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, corre o risco de fechar «se não houver uma injecção de dinheiro» em breve por parte da secretaria de Estado da Cultura.

Segundo declarações à Lusa, dia 20, da directora da instituição, Maria João Seixas, «em causa está a salvaguarda do património do cinema português, nos arquivos em Bucelas (Loures), os salários de 71 trabalhadores, a programação e restantes actividades de funcionamento do Museu do Cinema».

As verbas da Cinemateca provêm da cobrança da taxa de quatro por cento sobre a publicidade nas televisões, cujas receitas são repartidas entre aquele organismo (20%) e o Instituto do Cinema e Audiovisual (80%).

Mas como o mercado da publicidade tem sofrido uma quebra acentuada nos canais de televisão devido à crise económica, a queda das receitas reflecte-se no orçamento da Cinemateca.


Festa do Teatro anima Setúbal

Inaugurada dia 24, a XV Festa de Teatro de Setúbal continua a animar a cidade sadina até ao próximo sábado, apresentando no cartaz duas estreias nacionais: «A Noite Antes da Floresta», de Bernard-Marie Koltés, pelo Fontenova, já apresentada no domingo, e a peça «T.3 (Comida+JBWB-900+Prato do dia)», uma criação de João de Brito, Wagner Borges e Marta Lapa, que sobe a palco amanhã, sexta-feira.

Organizado pelo Teatro Estúdio Fontenova em parceria com a Câmara Municipal, o festival tem registado forte afluência de público, propondo além de teatro, uma exposição de fotografia, a exibição de cinema e outras actividades em diferentes espaços.


Memória do Tarrafal em brochura da URAP

A União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP) acaba de editar um brochura, intitulada «Tarrafal Nunca Mais», que recorda o «campo da morte lenta» como uma das faces mais brutais do regime fascista.

A edição contém a lista dos 32 antifascistas que ali foram assinados pelo salazarismo, bem como materiais relativos à visita de 40 antifascistas portugueses ao campo de concentração, em Abril de 2009, bem como ao simpósio internacional promovido na mesma altura em Cabo Verde.



Resumo da Semana
Frases