Lutar pelos direitos

Os trabalhadores da unidade de Belmonte da Carveste vieram anteontem a Lisboa para defender os seus postos de trabalho e exigir a recuperação da empresa. O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, recebeu-os no Rossio – onde se concentraram antes de rumarem ao Ministério da Economia – com palavras de apoio e incentivo a prosseguirem a sua luta com coragem e determinação.

Desde o início de Agosto que a laboração está suspensa na fábrica têxtil, medida que afectou duas centenas de trabalhadores, maioritariamente mulheres, que têm a receber metade do subsídio de férias de 2009, os salários de Junho e Julho e o subsídio de férias deste ano. A ida a Lisboa foi decidida num plenário realizado na semana passada, onde se acusou o fundador da empresa pela situação dramática por que passam os trabalhadores e o administrador de insolvência por «não dar andamento» ao processo.

Como alertou o Sindicato dos Trabalhadores do Sector Têxtil da Beira Baixa, da CGTP-IN, uma nova empresa criada por antigos responsáveis pela Carveste pode estar interessada na aquisição da fábrica, a preço de saldo e com um número reduzido de trabalhadores.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: