O comício é antecedido de quatro desfiles de rua
Domingo às 15 horas, no Campo Pequeno
Comício evocativo do centenário de Álvaro Cunhal

No próximo domingo, 10 de Novembro – dia em que se cumprem 100 anos sobre o nascimento de Álvaro Cunhal – tem lugar no Campo Pequeno, em Lisboa, um comício evocativo da vida, do pensamento e da luta do histórico dirigente comunista e, sobretudo, do legado que comportam. 

Image 14424

Ponto alto das comemorações do centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, este comício promete ser uma iniciativa marcante e inesquecível para todos quantos nela participem – e serão certamente muitos, a julgar pelos autocarros já preenchidos e pela disponibilidade demonstrada por muitos militantes e simpatizantes do PCP ao longo das últimas semanas e dias. A iniciativa conta com as intervenções do Secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, e da dirigente da Juventude Comunista Portuguesa, Cristina Cardoso, e ainda com a actuação musical da Brigada Vítor Jara e de Luísa Basto.

O comício tem início marcado para as 15 horas, mas as celebrações começam antes, nas ruas em redor do Campo Pequeno. Às 13h45 arrancam para o local do comício quatro desfiles, que prometem dar a estas comemorações uma vibrante expressão de rua: quem venha dos distritos de Lisboa, Leiria e Santarém concentra-se em Entrecampos; os oriundos dos concelhos da Península de Setúbal partem da Avenida de Berna, junto à Fundação Calouste Gulbenkian; os que venham de Évora, Beja, Portalegre e Litoral Alentejano iniciam a marcha na Avenida de Roma; e a JCP começa a desfilar na Praça Duque de Saldanha. A chegada dos desfiles ao Campo Pequeno será, seguramente, um momento particularmente emocionante.

No suplemento distribuído com esta edição do Avante!, salienta-se algumas das muitas razões que justificam que se comemore hoje – 100 anos após o seu nascimento e oito passados sobre o seu desaparecimento – a importância e actualidade do pensamento e da acção de Álvaro Cunhal, bem como o exemplo de uma vida vivida intensamente em prol de uma causa nobre e justa: a construção em Portugal do socialismo e do comunismo. A Comissão Promotora das comemorações destaca, no folheto de mobilização para o comício, que está em distribuição, que esta iniciativa pretende ser uma «homenagem dos comunistas, dos democratas e patriotas, dos trabalhadores, do povo português, ao homem, ao comunista, ao intelectual, ao artista», à personalidade que, «em Portugal, no século XX e na passagem para o século XXI, mais se destacou na luta pelos valores da emancipação social e humana, com forte projecção no plano mundial».

Muito embora pretenda valorizar um percurso exemplar e uma vida repleta de combates, o comício aponta sobretudo às lutas do presente e do futuro, nas quais estarão presentes, de forma indelével, as reflexões e a acção revolucionária de Álvaro Cunhal. Assim, nas palavras da Comissão Promotora, o comício servirá também para afirmar as propostas e projecto do Partido Comunista Português e a «necessidade do seu reforço com a sua identidade e o seu papel necessário, indispensável e insubstituível ao serviço dos trabalhadores, do povo e da pátria».

Lugar na história

Se a data de realização do comício é significativa, por ser precisamente o dia em que se cumpre o centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, o local escolhido para a sua realização não o é menos. De facto, o Campo Pequeno está associado a muitos e gloriosos momentos da história do PCP no pós-25 de Abril.

Foi precisamente nesse espaço que, em 28 de Junho de 1974, o Partido Comunista Português realizou o seu primeiro comício na capital após o derrubamento do fascismo, no qual interveio Álvaro Cunhal, à data Secretário-geral do PCP; foi também aí que teve lugar, em 15 de Maio de 1976, o comício de solidariedade com os povos da América Latina, que trouxe a Lisboa dirigentes comunistas como o brasileiro Luís Carlos Prestes, o uruguaio Rodney Arismendi e o chileno Samuel Riquelme, todos eles vivendo então no exílio devido à existência, nos seus países, de ferozes ditaduras fascistas.

Antes e depois destas duas relevantes iniciativas, muitas outras importantes realizações do PCP tiveram o Campo Pequeno como palco. Não é preciso esperar por domingo para afirmar que o comício evocativo do exemplar percurso de Álvaro Cunhal e do seu importante legado tem já um lugar cativo na galeria das iniciativas históricas aí realizadas.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: