Aconteu
Emigração sangra o País

Cerca de 100 a 120 mil portugueses emigraram no presente ano, segundo estimou, dia 22, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário.

Segundo o governante, o número de portugueses que saíram do País em demanda de emprego manteve-se estável em relação ao ano anterior. Deste modo, em dois anos terão abandonado o território cerca de 240 mil portugueses, algo só visto durante a vaga de emigração dos anos 60 do século passado.

Reconhecendo que se trata de um nível «bastante alto», José Cesário acrescentou que só não foi mais elevado devido à falta de emprego nos outros países.

Os países da Europa, em particular a França, continuam a ser os principais destinos dos portugueses, com Angola a atrair também números semelhantes aos do ano passado, na ordem dos 25 mil.


Chamadas móveis acima da média da UE

O preço dos cabazes de serviço telefónico móvel era, em Novembro de 2012, superior à média da UE, «independentemente do perfil de tráfego considerado», revelou, dia 16, um estudo da Autoridade da Concorrência (AdC).

Sem explicar ou especificar as diferenças relativas de preços, a AdC constata que Portugal tinha no ano passado uma taxa de penetração de telemóvel de 156 por cento, uma das mais altas dos então 27 estados-membros da UE.

«A elevada taxa de penetração do serviço telefónico móvel em Portugal prende-se, entre outras razões, com a elevada percentagem de clientes com planos tarifários pré-pagos, designadamente 71 por cento em Outubro de 2012», refere a AdC.

A oferta de serviço manteve-se «significativamente concentrada» com os dois maiores a deterem «uma quota de mercado conjunta de 83 por cento», respectivamente 44 por cento da TMN e 40 por cento da Vodafone. Já a Optimus e os restantes operadores detinham uma quota conjunta de 16 por cento.


Dívidas fiscais prescrevem

O Estado deixou prescrever, em 2012, dívidas fiscais no valor de 1017 milhões de euros e mais de metade deste valor (566 milhões de euros) refere-se a dívidas no IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado).

Segundo o parecer sobre a Conta Geral do Estado de 2012 do Tribunal de Contas, divulgado dia 19, no IRC (Imposto sobre o Rendimento de Pessoa Coletiva), as dívidas prescritas ascenderam aos 168 milhões de euros, ao passo que no IRS (Imposto sobre o Rendimento de Pessoa Singular), este valor foi de 71 milhões de euros. Os restantes 212 milhões de euros que o Estado não arrecadou referem-se a outros impostos.


Um terço nunca utilizou a Internet

Um terço dos portugueses (33%) nunca usou Internet, o quinto valor mais elevado na União Europeia, a seguir à Roménia (42%), Bulgária (41%), Grécia (36%) e a Itália (34%).

No extremo oposto estão a Dinamarca com apenas quatro por cento de «infoexcluídos», o Luxemburgo (5%) e a Finlândia (6%).

De acordo com um inquérito do Eurostat, divulgado dia 18, apenas 62 por cento dos lares em Portugal possuem ligação à Internet, o quarto valor mais baixo entre os 28 estados-membros, onde a média atinge os 79 por cento, variando entre os 54 por cento na Bulgária e os 95 por cento na Holanda.

Relativamente à frequência de utilização de Internet, apenas 48 por cento dos portugueses inquiridos indicaram que usam este meio diariamente, também neste caso muito abaixo da média europeia que se situa nos 62 por cento.


CIA matou dirigentes das FARC

A CIA ajudou o exército colombiano a matar pelo menos duas dezenas de líderes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) mediante um programa secreto, revelou, dia 22, o diário Washington Post.

O jornal indica que o plano contra as FARC foi autorizado pelo presidente norte-americano George W. Bush, em 2000, e que continuou a ser executado com o presidente Barack Obama.

A CIA dispôs de «orçamento milionário» que lhe permitiu munir-se de sofisticados equipamentos para seguir em tempo real os seus alvos, bem como de bombas inteligentes guiadas por um sistema de geolocalização.

O Washington Post cita o exemplo do assassínio de Raúl Reyes, em Março de 2008, então o «número dois» da guerrilha, vitimado por bombas deste tipo lançadas através da fronteira com o Equador.


Comércio Sul-Sul alarga-se

A parte do comércio Sul-Sul duplicou nos últimos 20 anos, representando mais de 25 por cento do total mundial, segundo o Livro das Estatísticas 2013 da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), divulgado, dia 17, em Genebra.

As economias em desenvolvimento são ainda responsáveis por 45 por cento do total de exportações, cabendo-lhes metade do crescimento das exportações mundiais entre 1995 e 2012, acrescenta o comunicado.

No comércio entre países em desenvolvimento, a China tem um papel destacado, com uma fatia das exportações superior a 20 por cento das trocas comerciais.



Resumo da Semana
Frases