Breves
Bélgica

O país justifica a expulsão de cidadãos europeus com o «peso irracional» que representam para o sistema social. Segundo a secretária de Estado para o Asilo e Migrações, Maggie de Block, a crescente não prorrogação de vistos de permanência cumpre o estabelecido numa directiva europeia, datada de 2004, que prevê a invocação do «peso excessivo» dos migrantes oriundos da UE para o erário público do território anfitrião.

Em 2013, entre os mais afectados pela referida política estão os cidadãos romenos (816), búlgaros (393) e espanhóis (323). No total, o ano passado foram expulsos da Bélgica 2712 pessoas, contra 2407 em 2012, 965 em 2011 e 343 em 2010.


Roménia

O ex-primeiro-ministro regressou à cadeia para cumprir o resto da pena a que foi condenado por corrupção e chantagem. Adrian Nastase, chefe do governo entre 2000 e 2004, já havia cumprido dois terços da sentença de quatro anos, mas acabou por ser libertado, em Março do ano passado, ao abrigo do recurso apresentado num tribunal de segunda instância.

A Justiça acusou Nastase de ter recebido subornos no valor de 630 mil euros de um empresário da construção civil, que acabou nomeado para o cargo de inspector de trabalhos públicos, bem como de ter chantageado o então cônsul da Roménia em Hong Kong, alegações que o social-democrata sempre negou.


República Checa

O social-democrata Bohuslav Sobotka vai liderar o governo de coligação com os populistas, dirigidos pelo magnata Andrej Babis, e com um pequeno partido democrata-cristão, anunciou o presidente Milos Zeman. O novo executivo substitui o gabinete de Petr Necas, demitido no Verão na sequência de um escândalo de corrupção.

Sobotka garantiu à UE a manutenção das políticas de «austeridade», mas aos checos prometeu investir nos transportes, reduzir o IVA nos medicamentos, livros, fraldas e alimentação para bebés, e aumentar as pensões e o salário mínimo para 40 por cento do salário médio.