As lutas reivindicativas alargam
o movimento
de massas
Decisões do Conselho Nacional da CGTP-IN
Mais força em Abril

O órgão dirigente da Intersindical enalteceu o combate que os trabalhadores continuam a dar ao Governo PSD/CDS e à política por ele seguida e agravada. Os resultados dão ânimo para as novas lutas necessárias.

O Conselho Nacional da CGTP-IN esteve reunido na quarta-feira, dia 19, na sede da central, e analisou a situação «dramática» do País. Na resolução aprovada e apresentada aos jornalistas por Arménio Carlos, Secretário-geral, e outros membros da Comissão Executiva, a Inter destaca que Portugal enfrenta o «desafio inadiável» de «libertar-se do programa de agressão imposto aos trabalhadores, ao povo e ao País, renegociar a dívida pública, aumentar a produção nacional e traçar um novo rumo, de progresso económico e social que assente na soberania nacional, respeite os valores de Abril e cumpra a Constituição».
Para atingir estes objectivos, «a luta dos trabalhadores e do povo mantém-se como elemento determinante da acção necessária e insubstituível para derrotar a política de direita, demitir o Governo do PSD/CDS-PP, convocar eleições antecipadas e construir uma alternativa política, de esquerda e soberana».
É dirigida uma saudação às «numerosas lutas» travadas nos últimos tempos. «Com grande determinação», os trabalhadores dos sectores privado, público e empresarial do Estado «têm enfrentado a ofensiva do patronato e do Governo» e «têm alcançado vitórias importantes nos locais de trabalho». Na resolução refere-se a actualização de salários e a manutenção dos direitos e da contratação colectiva, e salienta-se a defesa dos horários de trabalho. Como exemplo, aponta-se «a extraordinária luta dos trabalhadores da Administração Pública pelas 35 horas semanais, em particular os inúmeros acordos já estabelecidos em autarquias de todo o País.
A central nota ainda que estas lutas impedem que as consequências da política de direita sejam mais graves.

Um grande
1.º de Maio

As comemorações do 1.º de Maio, sob o lema «Lutar para mudar de política e de Governo», deverão constituir «um marco determinante», apela a CGTP-IN, que atribui também muita importância à participação nas celebrações do 40.º aniversário do 25 de Abril.
Mas o Conselho Nacional, desde já, exorta à intensificação das lutas reivindicativas, com prioridade para o aumento dos salários, a defesa dos direitos e da negociação colectiva, contribuindo, simultaneamente, para o alargamento da luta de massas.
A recolha de assinaturas para a petição «Pelo direito ao emprego e à protecção social no desemprego» vai intensificar-se, para ser entregue na Assembleia da República a 15 de Abril.
Para 8 de Abril, foi convocada uma concentração no Ministério do Emprego e Segurança Social. No quadro da luta contra a política de exploração e empobrecimento, o acento vai ser colocado no combate ao bloqueio da negociação colectiva (que várias associações patronais mantêm e que o Governo estimula), na exigência da imediata actualização do salário mínimo e na emissão das portarias de extensão. Será um momento para reclamar a revogação da legislação antilaboral e a manutenção da semana de 35 horas na Administração Pública, a reposição dos salários e pensões roubados, a defesa das funções sociais do Estado e a melhoria da protecção social dos trabalhadores, dos desempregados e das famílias.
Recordando as lutas travadas pelos reformados e aposentados, na resolução é saudada a acção nacional de protesto e luta (descentralizada), a 12 de Abril, convocada pelo MURPI e que conta com o apoio da Inter-Reformados.

Amanhã a juventude

No Conselho Nacional foi reiterada a decisão de assinalar amanhã o Dia Nacional da Juventude com «um amplo processo de acções, iniciativas e lutas nos locais de trabalho, pela defesa do emprego e de combate à precariedade, contra as discriminações e as desigualdade, pelos direitos laborais e sociais dos jovens trabalhadores». Este 28 de Março vai culminar com uma manifestação, que parte às 15 horas do Largo do Carmo, em Lisboa.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: