Abril é a nossa arma

No Congresso da JCP foram aprovadas as moções «25 de Abril sempre!» e «Pela paz e solidariedade» e apresentada uma saudação à «Luta da juventude, contributo para a alternativa que queremos construir».
«Somos filhos da revolução, filhos de Abril. Somos fruto do projecto mais emancipador do nosso povo. Somos fruto das lágrimas, do suor, do sangue, da resistência antifascista. Da luta de gerações de portugueses pela liberdade, pela paz, pelo pão, pelo trabalho, por uma vida digna sem repressão, sem obscurantismo», refere o texto da primeira moção, onde se sublinha que com o 25 de Abril de 1974 «renasceu a esperança e a alegria de viver».
Por tudo isto, prossegue o texto – que no sábado à noite foi ainda lido no Largo do Camões, antes do concerto dos Dazkarieh e depois do desfile da JCP – «celebramos os 40 anos da Revolução de Abril! Comemoramos a resistência e a heróica luta de um povo oprimido, reafirmamos que a luta não foi em vão! Cá estamos, os filhos da revolução, prontos para cumprir o papel que nos cabe, o papel de defender a Constituição da República e fazer cumprir e materializar os valores de Abril. Avante com Abril! Nas escolas, no trabalho, nas ruas, Abril é a nossa arma carregada de futuro. Nas escolas, no trabalho, nas ruas com a força da juventude, dos trabalhadores e do povo, Abril será cumprido.»
Já na moção «Pela Paz e Solidariedade», a JCP alerta para a intensificação, um pouco por todo o mundo, «da ofensiva capitalista, que se encontra intimamente ligada à profunda crise que este sistema atravessa, fruto das inúmeras contradições internas». O texto da saudação, por seu turno, dá conta da «poderosa luta nas escolas, nos locais de trabalho e nas ruas» que a JCP tem protagonizado.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: