Os deputados do PCP foram os que de longe mais actividade desenvolveram
PCP faz balanço de cinco anos de mandato
no Parlamento Europeu
Defender o povo e o País

Sob o lema «Intervenção, acção e luta – Por um Portugal com futuro numa Europa dos trabalhadores e dos povos», foi apresentado na segunda-feira, 21 de Abril, o balanço da actividade dos deputados do PCP no Parlamento Europeu (PE) no mandato 2009-2014. A iniciativa, que decorreu na sede nacional do PCP, contou com a presença de João Ferreira e Inês Zuber, actuais deputados no PE, de Ilda Figueiredo, ex-deputada no mesmo órgão, e de Manuela Bernardino e Ângelo Alves, respectivamente, do Secretariado e da Comissão Política do Partido.

No balanço, logo no início das suas 230 páginas, dá-se conta de que os deputados do PCP foram os que de longe mais actividade desenvolveram, no PE e em Portugal, através de mais de 1100 perguntas, de cerca de 600 intervenções em plenário e de três mil declarações de voto, resultado visível de uma intervenção intensa e dedicada, altamente qualificada, de um colectivo de que os três deputados do PCP neste mandato que agora termina são os rostos mais visíveis.
Proporcionalmente, João Ferreira, Inês Zuber e Ilda Figueiredo foram também os que mais intervieram nas sessões plenários do PE, levando assim, em português, para aquela câmara, as aspirações, as lutas e os problemas do povo.
«E se a sua intervenção se pautou pela denúncia e pela resistência às políticas que prejudicaram os interesses dos trabalhadores, do povo e do País, de igual modo a proposta política, a luta por mais e melhores condições de desenvolvimento e progresso para os portugueses e demais povos da União Europeia (UE) foram também uma marca da intervenção dos deputados do PCP» que, como salienta o documento, fizeram «centenas de alterações aos mais variados relatórios e pareceres», e de sua autoria apresentaram «mais de uma dezena de relatórios e pareceres», «tendo a sua esmagadora maioria sido aprovada, demonstrando assim o prestígio e a qualidade do seu trabalho no PE».
Em profunda ligação com os problemas concretos do povo e dos trabalhadores portugueses, ao longo dos últimos cinco anos, João Ferreira, Inês Zuber e Ilda Figueiredo realizaram ainda cerca de meio milhar de visitas e reuniões em todo o País, permitindo uma intervenção sem paralelo entre os partidos portugueses.

Eixos de luta

Todos os compromissos assumidos na campanha eleitoral de 2009 foram cumpridos, seguindo os oito eixos de luta por «um Portugal com futuro, numa Europa dos trabalhadores e dos povos», «pela democracia e a soberania nacional», «pelo emprego e os direitos dos trabalhadores», «pela produção nacional», «pela defesa dos serviços públicos», «por uma vida melhor, pela efectivação dos direitos e a igualdade, contra todas as formas de discriminação», «pela defesa do ambiente e a salvaguarda dos recursos naturais», «pela promoção da cultura e língua portuguesas» e «pela paz, a amizade e a solidariedade com todos os povos do mundo». 

 

Assumir responsabilidades

Integrados no Grupo Parlamentar EUE/EVN (Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Verde Nórdica), grupo do qual são membros fundadores, os deputados do PCP assumiram neste mandato as mais variadas responsabilidades e tarefas, nomeadamente a coordenação das comissões das Pescas e dos Direitos da Mulher e Igualdade dos Géneros, bem como uma das vice-presidências dos EUE/ENV e a vice-presidência da Comissão de Emprego e Assuntos Sociais, entre várias outras.
Neste quadro, os eleitos comunistas promoveram em Portugal diversas iniciativas em parceria o EUE/EVN sobre os mais variados temas, em que participaram não só João Ferreira, Inês Zuber e Ilda Figueiredo, mas também deputados de outros países, que trouxeram ao nosso País os testemunhos das suas lutas e puderem assim conhecer melhor a realidade portuguesa.

Trabalho, honestidade e competência

Os eleitos comunistas foram os que mais intervieram oralmente nas sessões plenárias do PE. Numa ponderação relativamente aos números de deputados de cada partido, a média de intervenção por deputado do PCP é de 284 intervenções. Ao fazer a mesma análise relativamente ao trabalho de cada partido, os dois deputados do PCP fizeram 568 intervenções orais em sessão plenária, mais 128 do que os oito deputados do PSD/CDS.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: