Abril é futuro

Como todas as datas que efectivamente marcaram a vida dos povos, o 25 de Abril jamais poderá ser evocado como um mero exercício de memória, como uma viagem ao passado de que sobraram reminiscências que se vão esbatendo com o tempo. Não. O que aconteceu naquele 25 de Abril de 1974 perdurará para além de todas as lembranças, de todas as histórias particulares, de todas as imagens, de todas as contradições, de todas as tentativas para lhe retirar significado.

Em 25 de Abril de 1974, precisamente há 40 anos, uma Revolução germinou em Portugal dando vida às mais profundas aspirações do povo. De um dia para o outro – mas tendo atrás de si meio século de sofrimento, morte, resistência, luta e muita, muita coragem e confiança dos que nunca se renderam – a luz rompeu as trevas do fascismo e mostrou-nos os caminhos do mundo novo por que anseia o ser humano.

Nada poderá apagar essa Revolução de Abril ainda inacabada em que um povo inteiro se levantou e conquistou o direito a ser feliz. Os obsctáculos do caminho são acidentes de percurso que não fazem esquecer que o caminho está aí. Há que trilhá-lo. Seja qual for o mês do calendário, para nós será sempre Abril.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: