Aconteu
Salários em Portugal são metade da UE

O salário médio bruto mensal em 2013 foi de 984 euros em Portugal, praticamente metade da média europeia (1972 euros) e um dos mais baixos de toda a União Europeia (UE).

De acordo com um estudo divulgado, dia 31, pela multinacional de recursos humanos e consultadoria Adecco, que se baseou em dados do Eurostat, em termos absolutos, a diferença entre a média dos salários na UE/28 e em Portugal é de 988 euros por mês ou 11 856 euros por ano.

Portugal surge assim em 18.º lugar, no conjunto dos 28 estados-membros, numa lista liderada pela Dinamarca (3739 euros), seguindo-se o Luxemburgo (3009 euros), a Finlândia (2622), a Irlanda (2621) e a Alemanha (2574 euros).

O salário médio em Portugal é ainda mais baixo do que na Grécia (1028 euros mensais) e na Espanha, onde em média as remunerações são 60 por cento superiores, ascendendo aos 1634 euros.

Abaixo de Portugal estão países como a Croácia (848 euros) ou a Polónia (693 euros), sendo a Bulgária (316 euros) o país com o salário médio mais baixo da UE.


Pobreza infantil aumentou em 2012

A taxa de risco de pobreza para os menores de 18 anos foi de 24,4 por cento, em 2012, um aumento de 2,6 pontos percentuais, face ao valor registado em 2011 (21,8%), revelam dados do INE, publicados, dia 30, a propósito do Dia Mundial da Criança, assinalado no domingo.

O Instituto Nacional de Estatística refere ainda que «a taxa de risco de pobreza para as famílias com crianças dependentes era, em média, de 22,2 por cento, verificando-se situações de risco acrescido nos agregados constituídos por dois adultos com três ou mais crianças (40,4%) e por um adulto com pelo menos uma criança dependente (33,6%)».

De acordo com os Censos 2011, em apenas 28 por cento das famílias clássicas (1 114 193) existiam crianças, sendo o número médio de filhos de 1,4.

Entre 1981 e 2011, o número de crianças reduziu-se em 936 mil (-37,3%), sendo que, em 2013, o número de nados vivos de mães residentes em Portugal foi de apenas 82 787, o valor mais baixo desde que há registos, representando uma quebra de 7,9 por cento face ao ano anterior.

 


Desempregados sem subsídio

O Estado português atribuiu, em Abril, prestações de desemprego a pouco mais de metade dos desempregados inscritos.

Segundo os últimos dados da Segurança Social, naquele mês, os beneficiários de prestações de desemprego fixaram-se em 356 490, menos 10 522 pessoas do que em Março.

De fora ficaram 311 mil pessoas inscritas nos centros de emprego, a quem foi negado o direito a qualquer dos subsídios previstos.

A mesma entidade refere ainda que o valor médio das prestações baixou de 468,93 para 465,06 euros, na comparação homóloga.


Maya Angelou – escritora e militante

A poetisa norte-americana e militante dos direitos cívicos, Maya Angelou, faleceu, dia 28, aos 86 anos.

Escritora, dramaturga e actriz, Maya Angelou foi uma figura de primeiro plano na luta pelos direitos cívicos da população negra nos Estados Unidos, causa por que militou ao lado de Martin Luther King e de Malcolm X, entre muitos outros.


«Sebastião Toupeira» apresentado em Ourém

O mais recente livro de António Lains Galamba, «Sebastião Toupeira», foi apresentado, no domingo, 1, no auditório do Museu Municipal de Ourém, coincidindo com as comemorações do Dia Mundial da Criança.

A apresentação da obra esteve a cargo de José Casanova, membro do CC do PCP, e contou com a presença do autor e do ilustrador, Roberto Chichorro, bem como de representantes do executivo municipal e da Assembleia Municipal.

A sessão foi animada pelos alunos do conservatório de Ourém e da tuna nabantina «Sabes Cantar», que entoou músicas de José Afonso, do cancioneiro da resistência popular italiana, o hino da intersindical e a Internacional.

Até 30 deste mês estará patente no mesmo local a exposição com as ilustrações de Roberto Chichorro que versam sobre a vida dos trabalhadores sob o jugo do fascismo.

 



Resumo da Semana
Frases