«Poderosos meios acompanham no terreno a acção da Guarda Nacional»
Crise na Ucrânia
Massacre a Leste

Centenas de mortos e feridos, entre soldados e civis, é o balanço sangrento da ofensiva do governo golpista no Baixo Don. Lugansk e Slaviansk são alvos de bombardeamentos indiscriminados.

 

Image 16083

A violência retomada a 26 de Maio contra a cidade de Donetsk prosseguiu, nos últimos dias, a Leste. O governo golpista lançou toda a força disponível contra a população e as auto proclamadas repúblicas de Lugansk e Donetsk, e segunda-feira, 2, a sede administrativa de Lugansk foi bombardeada.

As autoridades insurrectas denunciam a morte de oito civis e o ferimento de outros 28, bem como o uso de bombas de fragmentação no ataque, inicialmente atribuído por Kiev aos que apelida de terroristas. A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa veio, posteriormente, responsabilizar a força aérea ucraniana, obrigando Kiev a admitir o disparo de mais de 150 mísseis, noticiou a Russia Today.

As autoridades golpistas adiantaram também, através do seu procurador-geral, que a campanha a Leste já havia provocado a morte de pelo menos 181 pessoas, 59 das quais militares fiéis aos golpistas, e deixado quase 300 feridos. Não é claro se o balanço inclui as vítimas do assalto contra Donetsk, a 26 de Maio, no qual morreram pelo menos 50 civis e um número semelhante de milicianos contra-golpistas, mas o porta-voz militar de Kiev, citado pela Ria Novosti, estima em 300 o número de membros das forças de auto-defesa de Donetsk e Lugansk entretanto abatidos.

Simultaneamente, o governo golpista prossegue os ataques na fronteira de Lugansk com a Rússia, na cidade e localidades próximas de Slaviansk, onde, a meio da semana passada, uma escola e um hospital foram alvo de bombardeamentos.

Poderosos meios acompanham no terreno a acção da Guarda Nacional, contingente formado com base nas organizações nazi-fascistas que conta com um novo batalhão, o qual, informou Kiev, se junta aos dois já activos na região de Slaviansk e nas cidades de Mariopol, Kharkov, Odessa e Nikolaev.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: