Breves
Em atraso

Ainda não receberam o salário de Maio, nem os subsídios de férias de 2012 e 2013. Por isso e para exigir a marcação do mapa de férias, as trabalhadoras da empresa Fénix, que presta serviços de limpeza em esquadras da PSP, estiveram em greve no dia 9. Numa concentração realizada na manhã desse dia frente ao Comando Distrital da PSP em Coimbra, Armindo Carvalho, do STAD, disse à Lusa que a situação de incumprimento ocorre em toda a Região Centro, uma vez que a Fénix presta serviços nas esquadras de Leiria, Figueira da Foz, Aveiro e Viseu.


Retoma

Os trabalhadores da Printer Portuguesa decidiram, no dia 11, retomar a greve iniciada a 27 de Maio e suspensa três dias depois para dar o benefício da dúvida à administração, que se mostrou disponível para a resolução do conflito. Afinal, os trabalhadores da gráfica de Rio de Mouro (Sintra), que não são aumentados há oito anos e lutam contra situações de discriminação, foram confrontados com uma resposta «vazia»: nem aumentos salariais, nem integração do prémio de assiduidade no salário, nem correcção das diferenças salariais nas diferentes categorias. No plenário de dia 11, os trabalhadores não só retomaram a greve suspensa – até dia 13 –, como decidiram avançar com paralisações de duas horas por turno entre 20 de Junho e 29 de Agosto.


Concluída

Com uma adesão média superior a 90 por cento, a greve dos guardas prisionais ao período de trabalho nocturno e aos fins-de-semana realizou-se entre 17 de Abril e dia 9 de Junho. Entre outras questões, estão em causa a falta de pagamento de subsídio de turno, a integração de dois suplementos no vencimento, a promoção de pessoal nas categorias da carreira, a integração de todo o pessoal nos novos índices da nova tabela remuneratória, a sobrelotação das cadeias ou a recusa do Governo em reconhecer a profissão como sendo de «risco e desgaste rápido». O SNCGP, que convocou a greve, critica o Ministério da Justiça pela ausência de diálogo.