• Ângelo Alves

O capitalismo mata!

O mundo está em guerra. Ucrânia, Líbia, Iraque, Síria, Afeganistão, Sudão, Nigéria, Costa do Marfim, Mali, são apenas alguns exemplos. Povos como o palestiniano, o saharaui e o cipriota continuam a ver negados os seus direitos nacionais. Na Palestina, Israel prossegue o banho de sangue impunemente. O mundo está muito perigoso. Mas mais importante do que constatar os factos é compreender as razões. O mundo vive perigoso porque está mais injusto, desigual, instável e mergulhado numa crise do sistema que o domina.
E não somos apenas nós que o demonstramos. O PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) apresentou no passado dia 24 o seu Relatório Anual. Nele podemos constatar que o índice de desenvolvimento humano decresceu em todas as regiões do mundo e que um terço da população mundial é pobre ou vive em condições vulneráveis à pobreza. Neste mundo, pelo menos 842 milhões de pessoas vão para a cama ao fim do dia sem terem comido nada nesse dia e metade dos trabalhadores não têm vínculos laborais seguros ou são empregados no sector informal. Em pleno século XXI a maioria das pessoas do mundo não tem acesso a mecanismos de protecção social como pensões e subsídios de desemprego, 1500 milhões vivem na chamada «pobreza multidimensional» e destes, 1200 milhões sobrevivem com menos de um dólar por dia.Mas a riqueza existe! Estima-se que o 1% da população tenha uma riqueza calculada em 110 biliões (milhões de milhões) de dólares, o equivalente à riqueza combinada da metade da população (3,5 mil milhões de pessoas!) mundial mais pobre. Uma riqueza que em parte (32 biliões de dólares) está «a salvo» de impostos, «depositada» numa rede mundial de bancos em offshore. O mundo onde existem hoje 21 milhões de escravos é o mesmo em que desde a Segunda Guerra Mundial acontecerem 248 conflitos armados, 201 dos quais iniciados pelos EUA e aliados, que mataram 30 milhões de pessoas.O mundo está em guerra porque quem o domina vive da exploração, da opressão e da violência. É que, como já dissemos outras vezes neste espaço, o capitalismo mata, e de diversas formas! Mas a luta dos povos porá fim à guerra e à sua razão de fundo – a exploração e a opressão capitalistas!




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: