Carteiros exigem condições

Image 16576

Após a concentração em Guimarães, onde uma delegação do PCP prestou solidariedade (na foto, intervém a deputada Carla Cruz), os carteiros seguiram nas suas motos para Vizela

 

Em greve desde dia 18, segunda-feira, durante duas horas por dia, os carteiros do Centro de Distribuição Postal 4800 e 4810, paralisaram com muito elevada adesão durante todo o dia 22. Envergando camisolas alusivas à luta e deslocando-se nas suas motos de trabalho, muitos dos trabalhadores em greve concentraram-se no centro de Guimarães, de onde partiram, em desfile, até Vizela. O Sindicato Nacional dos Correios e Telecomunicações explicou, em nota de imprensa, que a alteração na organização dos «giros» tornou impossível a realização de alguns destes percursos de distribuição de correio. Além disso, está por preencher uma dezena de postos de trabalho, o que provoca sobrecarga com horas extraordinárias não remuneradas. A luta pelos direitos e por melhores condições de trabalho é, assim, também em defesa de um serviço postal público e de qualidade, salienta o SNTCT/CGTP-IN.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: