Aconteu
GALP e REN não pagam contribuição

A Galp e a REN decidiram contestar a legalidade da contribuição extraordinária sobre o sector energético e recusaram pagar ao Estado as verbas correspondentes.
No caso da REN está em causa um valor de cerca de 25 milhões de euros e no da Galp de 35 milhões de euros, ou seja um total de 60 milhões de euros de receitas previstas no Orçamento do Estado de 2014.
A REN anunciou em comunicado que não pagou o montante relativo a 2014 no prazo fixado, até 15 de Novembro, e «continua a avaliar a legalidade daquela contribuição».
A EDP, que dá o maior contributo para este item, chegou a contestar a decisão do Governo, mas acabou por pagar a sua parte, num valor da ordem dos 69 milhões de euros.
Com a contribuição extraordinária sobre o sector energético, o Estado esperava arrecadar 150 milhões de euros.


França condecora Manuel de Oliveira

A França decidiu atribuir o grau de Grande Oficial da Legião de Honra ao realizador português Manoel de Oliveira.
Segundo informou, dia 13, embaixada de França, a condecoração será entregue a 9 de Dezembro, dias antes de Manoel de Oliveira celebrar 106 anos, no Museu da Fundação de Serralves, no Porto.
A distinção, considerada a mais alta condecoração francesa, é atribuída a título excepcional «para recompensar uma personalidade e uma carreira fora do comum», explica a República francesa.

Manoel de Oliveira é o mais velho realizador do mundo em actividade. No dia do seu aniversário, estreará o mais recente trabalho, a curta-metragem «O velho do Restelo».


Escravatura detectada em 167 países

Perto de 36 milhões de pessoas são vítimas de escravatura em 167 países estudados pela Fundação australiana Walk Free.
O estudo, divulgado dia 17, refere que o fenómeno atinge homens, mulheres ou crianças e assume a forma de tráfico de seres humanos, exploração sexual, trabalho forçado, servidão por dívida ou casamento forçado ou por conveniência.
África e Ásia são os continentes com o maior número de «escravos», mas também na Europa foram detetadas 566 200 pessoas reduzidas à escravatura, frequentemente vítimas de uma exploração sexual ou económica. A Bulgária, República Checa e Hungria lideram os países europeus em piores condições por percentagem de população, numa lista que é liderada pela Turquia, com 185 500 casos.


Odivelas cancela peça de teatro

A Câmara Municipal decidiu cancelar a reposição da peça «O Matadouro Invisível», prevista para dia 14, no Centro Cultural Malaposta.
Em comunicado, a Câmara Municipal de Odivelas afirma que «entendeu cessar o contrato celebrado [com os actores] ainda com a empresa Municipália, e evitar desta forma o fracasso de assistência do espetáculo».
Tanto o encenador, José Martins, como actores foram apanhados de surpresa pela decisão camarária.
O actor e assistente de encenação, Alberto Quaresma, com uma experiência de 37 anos de palco, garantiu que todo o elenco irá contactar os advogados da Cooperativa de Gestão dos Direitos dos Artistas, Intérpretes ou Executantes, de modo a «não deixar passar esta situação em branco», acusando a autarquia de «incumprimento de contrato».
A peça, da dramaturga francesa Karin Serres, conta a história de um matadouro que é transformado num teatro (exactamente o que aconteceu há 25 anos, quando o Teatro da Malaposta abriu portas), mas que entretanto é abandonado e se transforma num parque de estacionamento.
«Espero que a ficção não se transforme em realidade», afirmou à Lusa o encenador, José Martins.


Ana Moura esgota salas nos EUA

A fadista Ana Moura, em digressão pelos Estados Unidos e Canadá, esgotou, dia 11, a sala B.B. King Blues, em Manhattan, Nova Iorque.
Em declarações à Lusa, a cantora confirmou que «os concertos têm corrido muito bem, temos tido sempre as salas cheias».
Ana Moura iniciou a digressão a 5 deste mês, em Toronto, concluindo o calendário de espectáculos no último domingo, 16, em São Francisco. Esgotou salas em Toronto (Canadá), Boston (Massachusetts), Storrs (Connecticut) e South Orange (Nova Jérsia).
Depois dos Estados Unidos, a fadista segue para o México, depois para a Letónia, Alemanha, Liechenstein e Eslovénia.


«Adeus Faraó» lançado em Almada

O último romance de Nuno Gomes dos Santos, «Adeus Faraó. Nós Só Adoramos o Sol», sob a chancela da editora Página a Página, com o apoio da autarquia almadense, foi lançado, no sábado, 15, no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada.
A obra, que conquistou o Prémio Poesia e Ficção de Almada 2011 e a Menção honrosa do Prémio Nacional de Romance Dias de Melo foi apresentada pelo escritor e crítico literário, Domingo Lobo.
A sessão terminou com um momento musical com o pianista João Balula Cid.



Resumo da Semana
Frases