Aconteu
Portugueses passam festas em casa

A esmagadora maioria dos portugueses (93,4%) vão ficar em casa nos períodos de Natal e Ano Novo.

Segundo um inquérito divulgado, dia 10, pelo Instituto de Turismo (IPDT) apenas 6,6 por cento dos inquiridos partem de férias, sendo que a maior parte (84,8%) fica no País.

Muitos dos que ficam em casa (45%) evocam motivos financeiros, resultantes do desemprego ou dos cortes nos salários e pensões.

Em relação à época natalícia do ano passado, a percentagem dos portugueses que ficam em casa aumenta 5,9 por cento.

O estudo incluiu as intenções sobre as férias em 2015, concluindo que apenas 25,6 por cento dos inquiridos tencionam passar férias fora de casa no próximo ano, ou seja, quase menos de metade dos que o fizeram em 2014 (54,4%).


uxo não tem crise

O sector do luxo está em plena expansão na Europa e também em Portugal.

De acordo com um relatório da empresa de consultadoria Frontier Economics, encomendado por uma associação europeia do sector, o número de trabalhadores na indústria de automóveis de alta gama, vinhos e vestuário de marcas de luxo aumentou 11 por cento entre 2010 e 2013, para um total de 1,1 milhões.

Estes artigos tiveram uma particular procura na Ásia e sobretudo na China. No entanto, segundo o Financial Times, de dia 9, a expansão do luxo na Europa contrasta com os restantes sectores da economia. Entre 2010 e 2013, as vendas cresceram quase 28 por cento, para 547 mil milhões de euros.

Essa tendência é igualmente verificável em Portugal, onde o número de lojas de artigos de luxo continua a aumentar, nomeadamente em Lisboa. E só não abrem mais estabelecimentos porque não existe oferta de instalações adequadas, segundo declarou ao Dinheiro Vivo uma responsável da imobiliária Cushman & Wakefield.


Privados são 53 vezes mais caros

O secretário de Estado dos Transportes admitiu que a manutenção das estradas fica muito mais barata sendo feita pelo Estado do que nos contratos das parcerias público-privadas.

Em declarações à Lusa, dia 15, em Almada, Sérgio Monteiro referiu o caso da parceria do Baixo Tejo, que previa um custo de 160 mil euros por ano por quilómetro, revelando que a Estradas de Portugal faz o mesmo trabalho por apenas três mil euros, uma diferença de 53 vezes.

Nas PPP, as grandes reparações estavam previstas para intervalos entre oito e dez anos. Ora, segundo os dados estatísticos da Estradas de Portugal, relativos a mais de dez mil quilómetros de rede, as grandes reparações são feitas com intervalos que rondam os 18 anos. Isto significa que, «por cada intervalo de 18 anos, o Estado pagava duas grandes reparações», quando uma seria suficiente.

 


Carlos do Carmo personalidade do ano

O fadista Carlos do Carmo foi escolhido pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal para a Personalidade do Ano de 2014 – Prémio Martha de la Cal.

A decisão, anunciada dia 16, resulta de uma escolha realizada pelos jornalistas de meios de informação estrangeiros acreditados em Portugal, e visa reconhecer a pessoa ou a instituição que mais fez pela imagem do País no estrangeiro.

O Prémio será entregue a Carlos do Carmo numa cerimónia no início de 2015.


Teresa Villaverde «Mulher Criadora»

Teresa Villaverde, autora de filmes que marcaram a década de 1990 do cinema português, como «Idade Maior» (1991), «Três Irmãos» (1994), ou ainda «Os mutantes» (1998) e «Cisne» (2011), foi distinguida como «Mulher Criadora de Cultura» 2014.

A distinção foi entregue pelo Governo numa cerimónia que decorreu, dia 18, no Teatro Nacional de São Carlos. O galardão reconhece «mulheres que se têm notabilizado em vários domínios da produção cultural em Portugal», no âmbito do Plano Nacional para a Igualdade-Género, Cidadania e não Discriminação.

Na ocasião foram igualmente distinguidas a designer de moda Alexandra Moura, a ilustradora Danuta Wojciechowska, a actriz Glória de Matos e a artista plástica Graça Morais.


Faleceu Vítor Crespo, capitão de Abril

O almirante Vítor Crespo faleceu, dia 17, aos 82 anos.

Nascido em Porto de Mós, em 21 de Março de 1932, Vítor Crespo foi um dos principais dirigentes da Marinha no Movimento das Forças Armadas, integrando a equipa do Posto de Comando da Pontinha, nas operações militares do 25 de Abril.

Homem íntegro, desempenhou vários cargos resultantes da Revolução de Abril. Entre as várias condecorações que recebeu, foi agraciado, em 1983, com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade e em 2005 com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

O PCP endereçou à família do Almirante Vitor Crespo as suas condolências.

 



Resumo da Semana
Frases