Da acção de contactos resultou já o reforço de muitas organizações
Acção de contactos com os membros do Partido
Uma tarefa multifacetada

A conclusão da acção de contacto com os membros do Partido para entrega do novo cartão, actualização de dados e elevação da militância é uma das tarefas prioritárias que está colocada ao colectivo partidário. Dela depende, em grande medida, o reforço da organização e intervenção do Partido aos mais variados níveis. 

Mostra a experiência que quanto mais forte for a organização e intervenção do Partido Comunista Português mais poderosa é a luta de massas e o seu carácter consequente contra a exploração e o empobrecimento, pelo socialismo e o comunismo, com todas as etapas que é necessário percorrer para a sua concretização: ontem, a revolução democrática e nacional; hoje, a democracia avançada.

Esta ligação entre Partido e luta foi evidente, por exemplo, nos anos 40 do século passado quando, na sequência da reorganização realizada no início da década, tiveram lugar grandes movimentações de massas pelo pão e pelos géneros, que logo se transformaram em vibrantes manifestações contra o fascismo e pela liberdade. O mesmo sucedeu com as poderosas jornadas de Maio de 1962, nas cidades e nos campos, só possíveis graças ao impetuoso fortalecimento da organização partidária verificado após a fuga de Peniche, em Janeiro de 1960, de Álvaro Cunhal e outros nove destacados dirigentes do Partido. Também a história do processo revolucionário e da resistência à contra-revolução teria sido bem diferente se o PCP não contasse com uma forte organização, implantada nas principais empresas e na generalidade das aldeias, vilas e cidades do País.

Hoje, perante a mais brutal ofensiva desde o fascismo contra direitos políticos, económicos, sociais e culturais, não é menos determinante a existência de um Partido Comunista forte, coeso e profundamente ligado aos trabalhadores e ao povo, elemento determinante para concretizar a ruptura com a política de direita e a construção de uma alternativa patriótica e de esquerda. O XIX Congresso do PCP, realizado em finais de 2012, aprovou um vasto conjunto de medidas visando um considerável reforço do Partido: os resultados da sua concretização fazem-se já sentir no dia-a-dia das organizações partidárias.

Dedicação e criatividade

Contactar com todos os membros do Partido, actualizando os seus dados, entregando-lhes o novo cartão, conhecendo as suas disponibilidades e limitações e, a partir de umas e outras, elevar a sua militância – tais são os objectivos centrais da acção de contactos com os membros do Partido, decidida em finais de 2013 e, no essencial, concretizada ao longo do ano passado.

Em 27 de Fevereiro, o Avante! apelava a que não se assumisse esta acção como «algo do foro administrativo, mas antes como uma tarefa política da maior importância, a ser desempenhada com esmero e criatividade»: e foi precisamente isto que fizeram, num esforço notável, milhares de quadros do Partido em todo o País, que somaram às exigentes tarefas que já desempenhavam a concretização desta acção, ou seja, a realização de um sem-número de conversas, quantas vezes ao final da tarde, à noite, ao fim-de-semana, em tempo «roubado» ao descanso e ao convívio familiar.

Em meados de Dezembro, numa apreciação ao andamento da acção, o Comité Central valorizou o facto de a maioria dos membros do Partido ter sido já contactada, garantindo que, em várias organizações, ela estava concluída ou muito perto disso. Independentemente, reconhecia, da persistência de «atrasos e incompreensões» em algumas organizações.

Importantes resultados

Ao longo de várias semanas, o Avante! acompanhou – e continua a fazê-lo – a concretização da acção de contacto com os membros do Partido, divulgando experiências, dando voz aos seus protagonistas e valorizando os seus resultados. Com evidentes diferenças de caso para caso, pois são diferentes as organizações do Partido e as realidades sobre as quais actuam, fica clara a importância da acção de contacto para o reforço da organização e intervenção partidária a todos os níveis, resumida desta forma pelo Comité Central: «Assinala-se importantes resultados na entrega do cartão de membro do Partido e do Programa e Estatutos, na actualização de dados que permite um melhor e mais eficaz funcionamento do Partido, na elevação da militância com expressões na assunção de responsabilidades regulares (por organizações, pelo recebimento de quotas, pela distribuição do Avante!, ou por outras tarefas), no aumento do valor das quotizações e no seu pagamento, no alargamento da venda do Avante!, no recrutamento de novos militantes (…).»

 Concluir os contactos e extrair deles todas as suas imensas potencialidades é uma das prioridades imediatas que está colocada ao colectivo partidário.

 

Quantos somos, onde estamos
o que fazemos

O preenchimento da ficha de contacto é tudo menos uma tarefa burocrática, pois para o Partido é fundamental conhecer com pormenor quem são, onde estão e o que fazem os militantes comunistas. A partir desta informação, aumentam as possibilidades de intervenção (e organização) do Partido nas empresas e locais de trabalho, no movimento sindical unitário, no movimento associativo popular e na própria acção local. Dela pode e deve resultar igualmente a estruturação da organização do Partido, de forma a fortalecer a ligação aos problemas e aspirações dos trabalhadores e do povo.

 

Legítimo motivo de orgulho

A entrega do novo cartão de membro do Partido, juntamente com o Programa e os Estatudos aprovados no XIX Congresso, é outro dos objectivos da acção de contacto. Símbolo de adesão e pertença a um projecto de transformação da sociedade e legítimo motivo de orgulho para quem o possui, o cartão do Partido obriga todos e cada um a uma militância cada vez mais activa e qualificada.

 

Potenciar disponibilidades
e capacidades

Questão essencial desta acção de contacto é a elevação da militância de milhares de membros do Partido. Tendo como objectivo fundamental a assumpção de tarefas regulares por mais militantes, e a integração destes em organismos partidários, a acção visa também alargar o número dos que adquirem a imprensa do Partido (o Avante! e O Militante) e que pagam a sua quota, se possível actualizando o seu valor. As tarefas propostas a cada um dos membros do Partido devem ter em conta não apenas a disponibilidade e capacidades de cada um, mas também as necessidades concretas de cada uma das organizações.

   



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: