Aconteu
Morreu Leonela Díaz

Leonela Díaz, criadora do método de alfabetização «Yo, sí puedo» (Sim, eu posso), com o qual aprenderam a ler e escrever mais de oito milhões de analfabetos no mundo, faleceu no sábado, em Havana, vítima de doença prolongada.

Dr. Leonela, como era conhecida, nasceu em Camagüey, Cuba, a 20 de Abril de 1947. Com apenas 15 anos juntou-se ao exército de alfabetização cubano, tendo de seguida implementado o método «Yo, sí puedo». Foi coordenadora-geral do programa que chegou a mais de 30 nações, estendeu-se ao Haiti e à República Bolivariana da Venezuela, tendo ainda sido implementado em outros países, como na Bolívia, Nicarágua, Panamá, República Dominicana, Guiné-Bissau e Colômbia. Face aos resultados do seu trabalho, a UNESCO conferiu a Cuba a Menção honorífica Rey Seijong e, posteriormente, o Prémio Rey Seijong.

Ao longo da sua vida, Leonela Díaz representou Cuba em vários congressos e eventos nacionais e internacionais, alcançou a categoria de Doutora em Ciências Pedagógicas e publicou mais de 20 livros relacionados com a educação. Militante do Partido Comunista de Cuba, recebeu múltiplas condecorações.

No domingo foi enterrada no Panteão da Central de Trabalhadores de Cuba, no Cemitério Colon, em Havana.


«Alentejo, Alentejo»

Depois de um périplo por mais de 50 localidades, o documentário «Alentejo, Alentejo», de Sérgio Tréfaut, premiado no IndieLisboa e na Colômbia, foi exibido esta terça-feira na Culturgest, em Lisboa, para assinalar a sua edição em DVD e o lançamento da banda sonora, dedicada ao cante alentejano.

«Alentejo, Alentejo» regista vários grupos polifónicos alentejanos, masculinos e femininos, e valoriza a importância do cante na própria identidade e vida quotidiana dos alentejanos.

O cante alentejano foi classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO, a 27 de Novembro de 2014, em Paris.


Cresce a solidariedade com Cuba

A Associação de Amizade Portugal-Cuba (AAPC) realizou no sábado, 17, na Casa do Alentejo, em Lisboa, um almoço para assinalar o primeiro mês em liberdade dos cinco patriotas cubanos e para comemorar o 56.º aniversário da Revolução Cubana. A iniciativa – que abre o ano da actividade da AAPC, a qual inclui muitos momentos de debate, convívio e solidariedade – contou com a presença da embaixadora de Cuba em Portugal, Johana Tablada.


Prémio Literário para Manuel Gusmão

Manuel Gusmão, professor catedrático aposentado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, recebeu, sábado, no Auditório do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, o Prémio Literário António Gedeão. Esta distinção, instituída pela Fenprof, galardoou a obra «Pequeno Tratado das Figuras».


Grande vitória no Dakar

O piloto português Paulo Gonçalves (Honda) ficou em 2.º lugar no Dakar'2015, prova que terminou no sábado. «O segundo lugar é uma vitória para mim. Estou muito satisfeito e agora vou lutar por melhorar, de forma a ser o primeiro português a vencer o Dakar», afirmou, na segunda-feira, o piloto, à chegada ao Aeroporto Sá Carneiro, no Porto.

Quanto aos restantes portugueses, Ruben Faria (KTM) terminou na 6.ª posição da geral, enquanto Hélder Rodrigues (Honda) foi o 12.º.


Novo livro de Domingos Lobo

«Lisboa, Modos de Habitar» é o novo livro de Domingos Lobo. Editado pela Althum.com, este trabalho, como se pode ler no prefácio, de José Manuel Vasconcelos, é «um breviário afectivo da cidade, constituído por um significativo conjunto de poemas que levam por título lugares de que a memória se mostra prisioneira».

No sábado, 24, às 16 horas, o livro será apresentada no Cine-Teatro de Benavente. O momento contará com a participação especial de Luísa Amaro (guitarrista portuguesa) e do jogral Manuel Diogo.



Resumo da Semana
Frases