Reforçar a CDU para defender os trabalhadores e o povo
Eleições na Madeira são já no domingo
«Tudo está na mão do povo»

No dia 29 de Março realizam-se as eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira. A CDU apresenta-se como a «alternativa a sério» para uma Região com futuro. Amanhã, Jerónimo de Sousa participa no último dia de campanha eleitoral.

Image 17772

No domingo, 22, a Coligação PCP/PEV dedicou o dia às Zonas Altas do concelho do Funchal, tendo realizado diversas acções de contacto com as populações. No Largo das Courelas, na Freguesia de Santo António, Edgar Silva, cabeça de lista, manifestou confiança em que a CDU «vai crescer, vai ter mais votos e mais eleitos», realçando, no entanto, que «tudo está na mão do povo».

Na sua intervenção, na maior e mais populosa freguesia do concelho, o primeiro candidato, por outro lado, criticou o desempenho de Miguel Albuquerque (PSD) enquanto presidente da Câmara do Funchal, tendo afirmado que durante os anos do seu governo autárquico (1999-2013) o investimento público não contemplou os interesses do povo. «A maior parte do investimento público foi todo dirigido para a Estrada Monumental [zona nobre do Funchal], para os grandes senhorios da cidade, enquanto para o povo das Zonas Altas sobravam uma míseras migalhas», salientou.

Responsabilizar os culpados

Dois dias antes, no centro do Funchal, em contacto com as populações e os trabalhadores, Edgar Silva alertou para a «ilusão» do rotativismo governativo entre PSD, PS e CDS. «Estamos numa situação em que os partidos que criaram os mais graves problemas por que hoje passa a Região tentam, ao mesmo tempo, aparecer como parte da solução, tentando branquear as suas responsabilidades a tudo quanto fizeram», acusou o candidato.

«Os partidos que criaram a dívida e levaram a Região à insolvência, que puseram o povo a pão e água, só para pagar mais de 600 milhões de euros de juros, aparecem agora com muita pena dos pobres e dos desempregados», acrescentou, acusando PSD, PSD e CDS de «hipocrisia política».

Aos muitos que se juntaram no Largo do Phelps, Edgar Silva lembrou, de igual forma, que o PSD e o CDS assumiram «a pés juntos» que não aumentariam os impostos, mas procederam exactamente ao contrário assim que chegaram ao Governo. «Não foram eles que disseram que se empenhariam na descida do IVA, que era uma prioridade, um compromisso de honra? Então não são eles que agora estão a dizer que, afinal, já não dá para baixar o IVA?», questionou.

Intervenção consequente

No dia 18, a comitiva da CDU rumou ao Porto Santo. Naquela Ilha, em declarações aos jornalistas, Edgar Silva revelou ter tido acesso a documentos que prevêem o encerramento nocturno da pista do Aeroporto de Porto Santo. Com a conivência dos «partidos das privatizações», este fecho irá reduzir de 52 para 27 os trabalhadores da infraestrutura aeroportuária.

Recorde-se que a VINCI, que comprou a ANA - Aeroportos de Portugal em 2013, é a empresa que explora actualmente os aeroportos da Madeira e do Porto Santo, a par de outros no País.

Para Edgar Silva, aquele encerramento significaria «uma acção que penalizaria o Porto Santo e os porto-santenses porque teria, desde logo, um impacto muito negativo para o interesse estratégico do Porto Santo e a própria economia turística do Porto Santo», ou seja, «os interesses dos residentes ficariam brutal e violentamente postos em causa». «Consideramos que esta situação, de encerramento nocturno do aeroporto do Porto Santo, tem que ser travada», defendeu. Segundo Edgar Silva, «este é um exemplo, a par de outros, da intervenção consequente da CDU».


Defender os trabalhadores

Edgar Silva, cabeça de lista da CDU, apelou, na segunda-feira, 23, aos dirigentes e activistas sindicais que «sejam mobilizadores de outros trabalhadores para um voto que faça a diferença». Durante um almoço com os principais sindicatos da Região, o candidato afirmou que os sindicatos «são a acção directa a toda a acção continuada de reivindicação e de defesa dos direitos de quem trabalha» e lembrou que «não há democracia nem avanço da democracia sem a defesa dos direitos do trabalho».


CDU saúda posição da CNE

Em nota de imprensa, a CDU saudou a posição da Comissão Nacional de Eleições (CNE) face à queixa formalizada na segunda-feira sobre a intenção da RTP-Madeira de realizar um debate televisivo, anunciado para o dia 24, com apenas três das 11 candidaturas concorrentes ao acto eleitoral que terá lugar no próximo domingo.

Para a Coligação PCP-PEV, a posição da CNE «salvaguarda a necessária garantia ao tratamento igual de todas as candidaturas, sem discriminações ou favorecimentos, respeitando os direitos básicos que são garantidos por lei, direitos esses que haviam sido já alvo de especial atenção em anteriores tomadas de posição da CNE e igualmente aquando da recente visita da delegação deste entidade à Região, no âmbito do processo eleitoral actualmente em curso».


Valorizar o Teatro Amador

No dia em que se celebrou o Teatro Amador, 20 de Março, a CDU defendeu a necessidade de apoiar esta actividade na Região Autónoma da Madeira. «Sendo uma das expressões artísticas mais antigas e acessíveis ao Homem e com grande destaque na sociedade, através do Teatro expõem-se elementos sociais e culturais, expressam-se sentimentos, dúvidas, inquietações, caracterizando-se quadros do quotidiano social. É assim um perscrutador das sociedade em si», assinala, em nota de imprensa, a Coligação PCP-PEV, condenando o menosprezo a que o Teatro Amador tem sido votado por parte das entidades governamentais, à semelhança do que tem acontecido com tantas outras actividades de cariz sócio-cultural.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: