Vitivinicultores em luta em defesa dos seus direitos
Em defesa do Casa do Douro
Concentração no dia 17

A entrega da Casa do Douro à Federação Renovação Douro (FRD) é uma «facada nas costas» dos vitivinicultores durienses, alerta a AVIDOURO.

Image 18282

No dia 17, às 11 horas, tem lugar uma concentração frente à Casa do Douro. O protesto – promovido pela Associação dos Vitivinicultores Independentes do Douro (AVIDOURO), com o apoio da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) – tem como objectivo «dizer não à entrega da Casa do Douro aos grandes interesses económicos e à Confederação dos Agricultores Portugueses (CAP)», «reclamar melhores preços para os nossos vinhos e mais benefício para esta campanha» e «defender a Região Demarcada do Douro».

Num documento que está já a ser distribuído aos lavradores e aos durienses, onde se afirma que «chegou a hora de nos unirmos e lutar pelos nossos interesses», apela-se à luta contra o «fim dos direitos de plantação da vinha» e reclama-se «outras políticas agrícolas».

Espoliados

Na passada semana, em nota de imprensa, AVIDOURO acusou o Ministério da Agricultura, os grandes interesses económicos ligados ao Douro (casas exportadoras) e a CAP de terem sido «juízes» de um concurso «viciado» para atribuir a gestão da Casa do Douro à FRD.

«Este processo deveria fazer corar de vergonha quem o conduziu», salientou a Associação dos Vitivinicultores, defendendo que «a Casa do Douro deve voltar a ser uma instituição pública dotada de poderes públicos, como já teve, que foram espoliados por sucessivos governos, particularmente desde 1995, o que muito contribuiu para a situação a que se chegou».

A AVIDOURO apela ainda à Associação dos Lavradores Durienses (ALD), «a legítima vencedora do concurso se este fosse transparente», que conteste da decisão «de todas as formas constitucionais e democráticas», nomeadamente «mobilizando os vitivinicultores para a luta em defesa dos seus direitos e interesses».

No documento dá-se ainda a conhecer que o Tribunal de Guimarães não aceitou o pedido de insolvência da Casa do Douro, que o Ministério da Agricultura repetiu depois de decisão idêntica do Tribunal de Primeira Instância de Peso da Régua.

Por último, a AVIDOURO reclama participar no «Interprofissional» do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto em igualdade de circunstâncias com outras organizações da produção.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: