Aconteu
Agricultores exigem preços justos

Milhares de agricultores de vários estados-membros, incluindo Portugal, manifestam-se, dia 7, em Bruxelas, para exigir o aumento dos preços ao produtor do leite, da carne de porco e de vaca, da fruta e legumes.
A manifestação, que juntou perto de dois mil tractores na capital da Bélgica, coincidiu com a reunião dos ministros da Agricultura dos 28 países da União Europeia, cuja agenda foi dominada precisamente pela análise do mercado dos produtos agrícolas.
Os preços pagos ao produtor têm sofrido quebras acentuadas no sector do leite, provocadas pelo fim das quotas de produção, regime que terminou a 31 de Março, e pelo embargo da Rússia a produtos da UE.
A queda dos preços do leite em Portugal obrigou cerca de 250 produtores a abandonar o sector por falta de rentabilidade.


Emprego precário e baixos salários

Entre Outubro de 2013 e Junho último, 84 por cento do emprego criado em Portugal assentou em vínculos precários, revelou, dia 2, a CGTP-IN.
Em conferência de imprensa realizada no final do Conselho Nacional, Arménio Carlos, secretário-geral da Intersindical, sublinhou igualmente que mais de um milhão de trabalhadores aufere salários inferiores a 600 euros, mais de dois milhões abaixo de 900 euros, ao mesmo tempo que aumentou em 20 por cento o número dos que estão abrangidos pelo salário mínimo (505 euros).
O dirigente sindical afirmou ainda que a actual maioria governamental prepara uma nova ofensiva contra os direitos sociais e laborais, caso continue no governo.


ADSE perde contribuintes

Mais de 1600 funcionários públicos desistiram da ADSE em 2014, na sequência do aumento das contribuições mensais, que passaram de 2,25 por cento do salário para 3,5 por cento, agravamento que foi acompanhado por uma redução das comparticipações.
Segundo o relatório de actividades ADSE (Direcção Geral de Proteção Social aos Funcionários e Agentes da Administração Pública), no mesmo período, os resultados financeiros aumentaram exponencialmente, passando de 5,2 milhões em 2013 para 132 milhões de euros no ano transacto.


Défice orçamental agravou-se

Um relatório da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), divulgado dia 1, afirma que o défice orçamental se agravou no primeiro semestre, face ao período homólogo, se se excluírem as medidas de natureza extraordinária realizadas em 2014.
Os cálculos da UTAO indicam que o défice das administrações públicas se situou entre 4,2 e 5,2 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre do ano.
Entre as medidas extraordinárias de 2014 está por exemplo o reconhecimento da dívida da STCP e da Carris, no valor de cerca de 1,2 mil milhões de euros, como dívida do Estado.
Segundo a unidade técnica esta evolução do défice orçamental «evidencia riscos para o cumprimento do objectivo» definido pelo Governo, ou seja, reduzir o défice para 2,7 por cento do PIB.


China comemorou fim da II Guerra

A China assinalou, dia 3, do 70 anos do fim da II Guerra Mundial e da vitória sobre o Japão, com uma parada militar em que participaram vários líderes mundiais, como Vladimir Putin ou Ban Ki-moon.
Na ocasião, o presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que as forças armadas chinesas, um dos maiores exércitos do mundo com mais de dois milhões de efectivos, vão sofrer uma redução de 300 mil militares.
Xi Jinping reiterou o comprometimento do país com o desenvolvimento pacífico.
«Nós, chineses, amamos a paz. Independentemente do poder que viermos a ter, nunca buscaremos a hegemonia nem a expansão; nunca infligiremos a outras nações os nossos sofrimentos passados», afirmou o chefe de Estado.


Cineastas portugueses reconhecidos lá fora

O filme «Fou D´Amour», do realizador francês Philippe Ramos, produzido por Paulo Branco, foi galardoado, dia 7, com o Grand Prix des Ameriques, no Festival Internacional de Cinema de Montreal, no Canadá.
A película estreia-se em França dia 16 e chegará a Portugal até ao final do ano.
No sábado, dia 5, o Festival de Cinema de Veneza, o mais antigo certame cinematográfico do mundo, acolheu em antestreia mundial o filme «Montanha», a primeira longa-metragem do realizador João Salaviza.
A projecção integrou-se na Semana da Crítica, secção independente do festival.



Resumo da Semana
Frases