Tragédia dos refugiados <br> tem responsáveis

O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) apela à «denúncia dos responsáveis da tragédia humanitária que atinge milhões de refugiados» – a maior desde a Segunda Guerra Mundial – e exige que se cumpram os princípios da Carta da ONU e, em Portugal, da Constituição da República. Salienta ainda o facto de que os instigadores desta situação procuram «descartar responsabilidades, iludindo as causas e agravando as medidas securitárias contra os refugiados que necessitam de ajuda e de acolhimento». 
Num comunicado, o CPPC sublinha que «os dramas e sofrimentos de milhões de refugiados que fogem da guerra, da fome, da miséria, da ameaça de morte certa, do criminoso tráfico humano têm causas e responsáveis». Na sua maioria, trata-se de pessoas «oriundas de países destruídos e vítimas de agressões, bombardeamentos, guerras que os governos dos EUA e seus aliados na NATO e na União Europeia promoveram e continuam a promover, utilizando os mais variados pretextos, como acontece no Afeganistão, no Iraque, na Líbia, na Síria e outros países do Médio Oriente e de África», lê-se no texto.

Recordando a condenação que fez de sucessivas ingerências, agressões e guerras, bem como a denúncia das suas «trágicas consequências para os povos dos estados que foram vítimas desses actos criminosos», o CPPC apela também ao fim das ingerências e guerras de agressão, ao apoio aos países agredidos do Médio Oriente e de África, ao respeito da sua soberania, à urgente ajuda às suas populações, assegurando condições de vida dignas, bem como à canalização das verbas utilizadas na corrida aos armamentos para a promoção de políticas de ajuda ao desenvolvimento desses países.

Solidariedade no Porto

Mais de 200 pessoas participaram esta segunda-feira, 14, na Baixa do Porto, numa concentração em solidariedade com os refugiados promovida pelo CPPC e pela União dos Sindicatos do Porto (CGTP-IN). Na sua intervenção, Ilda Figueiredo, presidente do CPPC, sublinhou a necessidade de parar a guerra, que destrói as condições básicas de vida dos povos e está na origem de mais de 50 milhões de refugiados.
Uma nova mostra de solidariedade com os refugiados, também promovida pelo CPPC, terá lugar dia 23, às 18h, numa sessão pública na Casa do Alentejo, em Lisboa.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: