Aconteu
Idosos abandonados

Portugal é dos países da Europa onde as pessoas idosas são mais abandonadas, com menos profissionais a elas dedicados e menos verbas, afirma um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), publicado dia 28.
A propósito do Dia Mundial do Idoso, que se assinala hoje, dia 1, o estudo da OIT indica que são necessários 13,6 milhões de trabalhadores no mundo para haver uma cobertura universal em termos de cuidados continuados a pessoas com 65 e mais anos.
Na Europa, Portugal tem das mais baixas taxas, com apenas 0,4 trabalhadores formais por cada 100 idosos. A França tem 1,1, a Espanha 2,9, a Holanda 7,3 e a Noruega 17,1.

A falta de protecção vê-se também pela percentagem do Produto Interno Bruto (PIB) destinada aos cuidados com os idosos. Portugal, que tem das mais altas percentagens de idosos do mundo, dedica 0,1 por cento do PIB, o valor mais baixo dos países europeus representados, seguindo-se a Estónia com 0,2, a República Checa com 0,3, e a Espanha com 0,5. Países como a Holanda e a Dinamarca, dedicam 2,3 e 2,2 por cento do PIB a esta área social.


Défice não baixou apesar dos cortes

O défice orçamental de 2014 está próximo do nível de 2011 e o valor até Junho continua acima do previsto pelo Governo para o conjunto do ano, segundo revelou, dia 23, o Instituto Nacional de Estatística (INE).
Em 2014 o défice orçamental foi de 7,2 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) e não de 4,5 por cento como tinha sido anteriormente anunciado. O agravamento ficou a dever-se à inclusão nas contas de 2014 da capitalização de 4,9 mil milhões de euros do Novo Banco.
Em 2011, o défice atingiu os 7,4 por cento do PIB, valor que fica apenas duas décimas acima do valor apurado para 2014.
O INE divulgou ainda que o valor do défice na primeira metade do presente ano foi de 4,7 por cento do PIB, ou seja muito acima da meta de 2,7 por cento fixada pelo Governo até final do ano.
Em Julho, quando ainda só eram conhecidos os dados do primeiro trimestre (de 5,8% do PIB), o Conselho de Finanças Públicas calculou que o défice não podia ultrapassar os 1,9 por cento do PIB nos restantes três trimestres do ano para que o Governo lograsse atinge aquela meta.


ERC investiga sondagens

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) abriu processos e pediu esclarecimentos a empresas de sondagens e aos media que fazem a divulgação dos resultados.
Segundo fonte oficial do Conselho Regulador, citada, dia 28, pela agência Lusa, estes procedimentos «enquadram-se na actividade regular, tendo-se apenas intensificado nas últimas semanas devido a uma aceleração na produção de sondagens com projecção de voto legislativo para divulgação diária».


Portugal vence olimpíada de ciências

Um grupo de alunos do Secundário conquistou a medalha de ouro nas IX Olimpíadas Internacionais de Ciências da Terra (International Earth Sciences Olympiads – IESO 2015), realizadas na cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais, Brasil, entre os dias 13 e 20 de Setembro.
A comitiva portuguesa foi constituída pelos alunos Carolina Esteves, José Pedro Carvalho e Vasco Esteves, acompanhados de Jorge Relvas e Álvaro Pinto, ambos docentes na faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.
Para além do ouro, Portugal obteve ainda a medalha de bronze e uma série de outros prémios e menções honrosas.
Nesta edição das olimpíadas participaram 85 estudantes do Ensino Secundário de 28 países de todos os continentes. A nível nacional, realizou-se anteriormente a Olimpíada Portuguesa de Geologia, que contou, na fase escolar, com a participação de mais de 2500 alunos.


Músicos solidários com refugiados

Mais de uma dezena de músicos portugueses juntaram-se, dia 27, no espectáculo «Lisboa Acolhe», realizado no Teatro São Luiz, de solidariedade com os refugiados.
O espectáculo, que teve transmissão em directo na RTP, reuniu Sérgio Godinho, Jorge Palma, Camané e Dead Combo, Sara Tavares, Cristina Branco, Márcia e Rita Redshoes, Carlos Mendes, Samuel Úria e Carlão.
As receitas de bilheteira reverteram na totalidade a favor das associações envolvidas na operação de acolhimento de refugiados em Portugal.


«Parabéns a você» não paga direitos

A Justiça norte-americana decidiu que a música «Happy Birthday» (Parabéns a Você», utilizada em todo o mundo para celebrar aniversariantes está livre de direitos de autor.
A sentença foi proferida, dia 22, por um tribunal de Los Angeles e põe fim a um processo judicial, no qual a editora Warner/Chapell, do grupo Warner Music, reclamava os direitos da canção.
«Happy birthday» é uma variante da música «Good morning to all», composta no final do século XIX pelas irmãs Mildred e Patty Smith Hill, cujos direitos foram comprados pela Warner em 1988.
Desde então o grupo tem cobrado anualmente cerca de dois milhões de dólares em direitos. Agora, a música passa a pertencer ao domínio público.



Resumo da Semana
Frases