Rússia quer reforçar <br> não-ingerência na ONU

A Federação Russa pretende que a Assembleia Geral das Nações Unidas aprove uma declaração em que os estados-membro se comprometem a não interferir nos assuntos internos de cada país. A carta de não-ingerência que Moscovo se prepara para apresentar, para já, com o apoio da Venezuela e China, tem como objectivo sublinhar um princípio base da ONU, mas que «infelizmente nem sempre se cumpre sob diferentes pretextos», notou o ministro dos Negócios Estrangeiros do Kremelin, Sergei Lavrov. Eventuais resistências à proposta, prevê o diplomata, virão daqueles «que consideram que têm direito a não cumprir as suas obrigações perante a ONU».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: