Israelitas marcharam pela paz

Milhares de pessoas manifestaram-se, na noite de sábado, 24, em Telaviv, em defesa da paz e pela retoma das negociações com a Palestina. O protesto convocado pela organização Peace Now ocorreu a poucos dias de se assinalar os 20 anos do assassinato do ex-primeiro-ministro de Israel Yitzhak Rabin, que com Yasser Arafat, então o líder da Organização para a Libertação da Palestina, assinou, em 1993, os acordos de Oslo, dos quais decorrem a Autoridade Nacional Palestiniana, e o roteiro para o fim da ocupação israelita da Palestina e para o reconhecimento dos direitos nacionais dos palestinianos.

Um porta-voz da Peace Now, citado pela Lusa, sustentou que «a via [de diálogo] que parou em 1995 [com o assassínio de Rabin] continua mais do que nunca a ser a de hoje», e responsabilizou a política sionista pela onda de violência que se arrasta há semanas na região.

Desde 1 de Outubro, mais de 50 palestinianos e árabes israelitas foram mortos pelas forças repressivas de Israel. No mesmo período, mais de mil palestinianos foram presos por Israel, informou uma associação de apoio e solidariedade para com os presos palestinianos.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: