Aconteu
Desigualdade atinge recorde

A riqueza de um por cento da população mundial superou, em 2015, a dos restantes 99 por cento. Os dados foram revelados pela Oxfam na segunda-feira, 18, a escassos dois dias do início dos trabalhos do Fórum Económico Mundial que se realiza na localidade suíça de Davos. A Organização Não-Governamental inglesa previa que a desigualdade viesse a atingir este nível em 2016, mas tal veio a ocorrer um ano antes. Para ilustrar este agravamento das desigualdades, a ONG calcula que 62 pessoas possuam hoje tanta riqueza como a metade mais pobre da população mundial. Há cinco anos, essa mesma metade possuía tanta riqueza quanto 388 pessoas.
A ONG acrescenta ainda que, desde o início do século XXI, a metade mais pobre da humanidade beneficia de menos de um por cento do aumento total da riqueza mundial. Já o grupo de um por cento mais rico terá recolhido cerca de metade desse aumento. A Oxfam apela ao fim da «era dos paraísos fiscais», lembrando que nove em 10 empresas que se encontram entre os parceiros estratégicos do Fórum Económico Mundial de Davos estão em pelo menos um «paraíso fiscal».


Portugal na cauda da Europa

Portugal tem, de entre todos os países da Europa, a maior taxa de cuidados continuados e paliativos prestados por pessoas sem preparação nem qualificação e, paralelamente, uma das mais baixas taxas de cobertura de cuidados prestados por profissionais. A informação consta do estudo intitulado «Acesso, qualidade e concorrência nos Cuidados Continuados e Paliativos», da responsabilidade da Entidade Reguladora da Saúde (ERS), no qual se indica ainda que o País apresenta a menor taxa de prestação de cuidados não domiciliários.
Neste estudo, citado pela Lusa, fica-se também a saber que é em Portugal que os utentes assumem a maior fatia do financiamento destes cuidados de saúde. Quanto à percentagem de despesa pública consagrada aos cuidados paliativos, Portugal está abaixo da média europeia. Contudo, estas despesas têm crescido a um ritmo superior ao dos restantes gastos com saúde.


EUA armam Ucrânia

O embaixador ucraniano nos EUA, Valeri Chaly, anunciou a um canal de televisão do seu país que em 2016 a Ucrânia deverá receber armamento norte-americano. Segundo a Agência Sputnik, o diplomata revelou que o Congresso dos EUA estará a debater o envio de um apoio militar no valor de 658 milhões de dólares. A fazer fé nestas declarações do embaixador e noutras informações anteriormente veiculadas pela embaixada, este valor inclui os 300 milhões já aprovados e promulgador por Barack Obama para «assistência nas áreas da segurança e da informação», a que acrescerá o fornecimento de armas letais de «carácter defensivo». O regime ucraniano, apoiado pelos EUA, NATO e UE, mantém há quase dois anos uma guerra contra as populações russófonas do Leste do país e tem vindo a aplicar medidas antidemocráticas, como a recente ilegalização do Partido Comunista.


«Enfermeiro da morte» julgado

A justiça alemã informou, no dia 18, que o julgamento de Hubert Zafke, antigo enfermeiro do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, se iniciará a 29 de Fevereiro. O referido enfermeiro, actualmente com 95 anos, é acusado de cumplicidade na morte de 3681 pessoas, só entre 15 de Agosto e 14 de Setembro de 1944, período durante o qual «trabalhou» no campo. Neste curto intervalo de tempo, terão chegado ao campo da morte 14 comboios de prisioneiros, muitos dos quais não sairia de lá com vida (o campo foi libertado pelo Exército Vermelho a 27 de Janeiro de 1945).
A acusação garante que o réu tinha consciência do objectivo do campo de Birkenau como «campo de extermínio» e que foi com essa mesma consciência que terá apoiado a sua organização. Segundo a Lusa, o antigo enfermeiro foi julgado na Polónia, em 1948, pelo seu papel nos crimes perpetrados naquele campo pelos nazis e condenado a três anos de prisão, que cumpriu integralmente. Responde agora perante a justiça do seu país.


Ensaio mortal

Uma pessoa morreu e cinco estão internadas em estado grave no Hospital de Rennes, em França, na sequência da sua participação num ensaio clínico da farmacêutica portuguesa Bial. Tanto a vítima mortal como aqueles que se encontram internados com lesões cerebrais graves eram voluntários num ensaio que envolveu perto de 200 pessoas, das quais apenas 90 tomaram o fármaco em causa (tendo às restantes sido administrado um placebo). Estas seis pessoas foram precisamente as que tomaram doses mais elevadas do medicamento em estudo.
A farmacêutica já lamentou o sucedido, assegurando que o ensaio foi aprovado pelas autoridades francesas e que ele só se iniciou após a realização de um conjunto de testes e ensaios pré-clínicos, nomeadamente na área da toxicologia. A ministra da Saúde francesa garante tratar-se de uma situação única no país.


Faleceu Almeida Santos

Faleceu na noite de segunda-feita, 18, a poucos dias de completar 90 anos, o presidente honorário do PS e antigo presidente da Assembleia da República António Almeida Santos. O Secretariado do Comité Central do PCP expressou as condolências à sua família e ao PS, «lembrando o seu posicionamento antifascista e sublinhando as suas mais altas responsabilidades no plano institucional» e no seu partido.



Resumo da Semana
Frases