Muitos quadros do Partido assumem com empenho a difusão do Avante!
Encontro de Quadros
da ORL sobre o Avante!
Instrumento decisivo<br>da luta do Partido

«O reforço do Avante! significará sempre reforço do Partido e sem reforço do Partido é impensável o reforço do Avante!», afirmou Jerónimo de Sousa no encontro de quadros de Lisboa realizado no sábado.

Image 19908

O encontro, em que participaram cerca de centena e meia de quadros das várias organizações e sectores do Partido no distrito de Lisboa, foi um momento importante da campanha de difusão do Avante!, que agora se inicia. Na primeira intervenção, Jaime Rocha, do Executivo da Direcção da Organização Regional de Lisboa, apontou os três objectivos principais da reunião: afirmar o Avante! enquanto instrumento fundamental para a preparação política e ideológica dos militantes do Partido; debater e trocar experiências sobre formas de melhorar a venda do Avante! na organização do Partido e a divulgação entre as massas; e recolher opiniões para a melhoria dos conteúdos do jornal.

Sobre a primeira questão, o dirigente regional do Partido sublinhou desde logo a necessidade do «estudo e leitura da imprensa do Partido», que se assume como «vertente essencial da sua formação política e ideológica» tendo sempre presente que a «ideologia da classe dominante pretende impor-se como única e absoluta». Nestas condições, acrescentou, o PCP precisa de «quadros melhor preparados para intervir»: sem o estudo dos conteúdos do Avante!, «abre-se uma grave lacuna nessa preparação». Noutras intervenções o acento tónico foi colocado no papel que o Avante! assume e pode assumir ainda mais no alargamento do prestígio entre as massas, ao dar voz aos seus problemas, aspirações e lutas. Ambas as dimensões são imprescindíveis e devem ser potenciadas ao máximo, concluiu-se no final dos trabalhos.

No que respeita ao alargamento da difusão, Jaime Rocha começou por adiantar os objectivos a que a Organização Regional de Lisboa se propõe: o aumento de 20 por cento da venda do jornal. As formas de concretizar este aumento, sublinhou, «devem ser debatidas e executadas a todos os níveis da nossa organização». Muitos dos oradores da tarde, alguns dos que todas as semanas levam o Avante! aos militantes e simpatizantes do Partido e aos trabalhadores e ao povo, contribuíram logo ali para o avanço da discussão, garantindo que o «segredo» do êxito é a tenacidade e a persistência dos difusores. Ainda assim, tinha já questionado Jaime Rocha, «há que reflectir se a estrutura que temos hoje é a que melhor corresponde à necessidade de aumentar a venda do Avante! entre os militantes, os trabalhadores e os amigos do Partido».

Organizar e persistir

O vivo debate travado, rico em contribuições e opiniões, deixou claro quer as virtudes e potencialidades do trabalho de difusão do Avante! no distrito de Lisboa quer as insuficiências que persistem e que urge ultrapassar. Em algumas freguesias, as vendas cresceram graças à determinação de um grupo restrito de quadros do Partido, que todas as semanas percorrem quilómetros a pé para o fazer chegar aos militantes e amigos, bem como a outros leitores. Noutros locais, apesar desta mesma persistência, a difusão do jornal estagnou ou recuou. Há ainda organizações em que não foi ainda possível organizar devidamente a distribuição e venda do Avante!, reconheceram muitos dos quadros presentes.

Em jeito de conclusão, Luís Fernandes, membro do Comité Central e da DORL, adiantou algumas das medidas a implementar de imediato para que seja possível aumentar a venda do Avante! e alcançar os objectivos propostos: aumentar a compreensão dos militantes acerca da importância do jornal para a vida do Partido; potenciar a leitura e o estudo da imprensa do Partido; definir em cada organismo um responsável pela venda e distribuição do Avante!; criar colectivos de difusores e distribuidores; aumentar o número e a regularidade das bancas de rua e da venda junto a empresas e locais de trabalho. Como em todas as outras tarefas partidárias, também nesta é necessário tomar decisões, levá-las à prática e controlar a sua execução, sublinhou Luís Fernandes.

O director do Avante!, Manuel Rodrigues, lembrou as características do jornal comunista como instrumento de luta do Partido e factor de aumento do seu prestígio entre as massas, acrescentando, a propósito disto, que existe um «imenso campo social de alargamento da difusão do Avante!». Falando perante uma plateia particularmente activa na leitura e na difusão do Avante!, o membro da Comissão Política apelou a que cada um ganhe mais «um, dois, três, meia dúzia» de novos leitores.

A presença do Avante! (e do Partido) na Internet e nas redes sociais foi também aflorada por alguns dos oradores, que deram sugestões para um melhor aproveitamento destas ferramentas para, também por aí, fazer chegar mais longe a voz do PCP. Outros, não desprezando as potencialidades da Internet, colocaram o ênfase no papel que a distribuição do Avante! (e a cobrança de quotas) assume para o contacto regular com milhares de membros do Partido.

Quanto ao conteúdo, foram feitas algumas sugestões, registadas pelo director do Avante!: o alargamento dos temas tratados pelo jornal (nomeadamente em áreas como a cultura ou o desporto), a criação de espaços em que os assuntos são abordados de uma forma simplificada e uma maior presença no Avante! da actividade das organizações do Partido, através de entrevistas e reportagens, foram algumas delas.


Jerónimo de Sousa

 É necessário e possível
levar mais longe o Avante!

Coube ao Secretário-geral do Partido encerrar os trabalhos do encontro regional de quadros da ORL sobre o Avante!, com uma intervenção na qual destacou o papel do órgão central do Partido nos últimos 85 anos da vida do País. Em jeito de balanço do caminho percorrido até aqui, Jerónimo de Sousa garantiu que o Avante! «tem a honra de poder afirmar que, na sua longa vida, cumpriu o seu papel de jornal de classe e arma insubstituível do PCP ao serviço dos trabalhadores e do povo». Tal só foi possível, garantiu, porque nunca se deixou «submeter ou intimidar pelo terror da ditadura fascista ou pelas muitas tentativas de silenciamento por parte da ideologia e dos poderes dominantes».

Para o dirigente comunista, nas páginas do Avante! – «jornal livre e independente do poder dos grandes grupos económicos e financeiros que controlam a generalidade da comunicação social» – lê-se o que, por essa mesma razão, não pode ler-se em nenhum outro jornal, posto de rádio ou estação de televisão: a luta dos trabalhadores e das massas populares pelos seus direitos e pela construção de uma sociedade sem exploração, as propostas, projecto e organização do PCP e a forma como «leva a cabo o seu trabalho colectivo» e «mobiliza os seus militantes, os trabalhadores e o povo para as batalhas de todos os dias».

Passando em revista a história do Avante! desde a sua fundação, em 1931, e até aos dias de hoje, o Secretário-geral do Partido destacou o papel ímpar hoje desempenhado pelo jornal do PCP enquanto «porta-voz da ruptura com a política de direita e por uma alternativa patriótica e de esquerda, componente indissociável da luta por uma democracia avançada com os valores de Abril no futuro de Portugal, a luta pelo socialismo e o comunismo». Pela sua importância, é necessário levá-lo mais longe, realçou Jerónimo de Sousa, questionando: «que fazer na nossa organização para fazer chegar o Avante! a muitos mais militantes? Como fazê-lo chegar, de modo particular, aos novos militantes? Como fazer chegar o Avante! aos trabalhadores e ao povo, nas empresas, locais de trabalho e nas ruas? Como promover a divulgação do Avante! aumentando o seu prestígio e influência social e política, e o prestígio e influência social e política do Partido?» Uma coisa é certa, garantiu: «ouvindo quem está com a “mão na massa” tira-se uma conclusão segura. É possível aumentar a venda do Avante!.»

 

Orientações essenciais

Na sua intervenção, Jerónimo de Sousa lembrou orientações essenciais para aumentar a difusão do Avante!:

  • responsabilização de quadros nas Organizações Regionais;

  • criação de estruturas estáveis nas Organizações Regionais (comissões nos diversos organismos, colectivos de difusores, etc.);

  • criação de linhas de direcção para a divulgação junto dos militantes e, em particular, junto dos novos militantes, procurando desenvolver hábitos de aquisição e leitura regular do Avante!;

  • organização regular de bancas de rua;

  • responsabilização de camaradas pela distribuição domiciliária;

  • aumento da rede de distribuição e venda e promoção pública com bancas e outras acções de rua;

  • promoção, divulgação e venda nas empresas e locais de trabalho (em articulação com as estruturas locais do Partido – células de empresa, etc.);

  • promoção de iniciativas regulares para discutir a imprensa partidária (debates, colóquios, reuniões de quadros, etc.);

  • planificação de pagamentos e entregas centrais;

  • alargamento da rede comercial.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: