O Centro UNESCO
terá várias atribuições
Compreender melhor o património imaterial
Centro UNESCO em Beja

A Câmara de Beja assinou, segunda-feira, 6, um protocolo de cooperação para criar, na cidade, o Centro UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

O protocolo foi celebrado entre o município, a Comissão Nacional da UNESCO, a Direcção Regional de Cultura do Alentejo, o Centro Nacional de Cultura, a Fundação AgaKhan, o Sindicato dos Músicos e Profissionais do Espectáculo e do Audiovisual, a MODA - Associação do Cante Alentejano e a Confraria Gastronómica do Alentejo.

Os parceiros propõem-se criar e dinamizar em Beja um Centro UNESCO especializado na área do património cultural imaterial, que ficará situado no emblemático edifício do Clube Bejense, antigo espaço de convívio e cultura da cidade que o município está a reabilitar, num investimento de 374 mil euros, e também para acolher uma «casa criativa».

Segundo o protocolo, o Centro UNESCO «estará organizado como uma rede de membros activos que colaboram entre si e com instituições e organismos da cidade e da região» que estejam «empenhados» na salvaguarda, na gestão, na valorização e na educação para o património imaterial, nomeadamente música tradicional, cante alentejano, literatura e histórias orais, e «na difusão e na promoção das boas práticas neste domínio».

O Centro UNESCO terá várias atribuições, como «contribuir para uma melhor compreensão do património imaterial» e promover, estudar e divulgar a música tradicional, nomeadamente o cante alentejano, a literatura e a história popular.

Colaborar com instituições locais, regionais, nacionais ou internacionais em acções ligadas com os objectivos da UNESCO e com a Direcção-geral do Património Cultural na concretização do inventário do património imaterial são outras das atribuições.

Desenvolver parcerias

O centro tem também como atribuições sensibilizar as comunidades para a importância da salvaguarda do património imaterial e aumentar a sua participação nesta área e criar e desenvolver parcerias e redes para estabelecer programas de investigação para «colmatar lacunas de conhecimento em gestão de património imaterial».

Estabelecer um sistema de informação para apoiar a identificação e a documentação de património imaterial, facilitar o trabalho em rede entre profissionais e instituições activos na salvaguarda do património imaterial e criar residências para especialistas e investigadores ligados ao estudo e à salvaguarda do património imaterial são também atribuições do centro.

O equipamento pretende ainda dinamizar potencialidades do património imaterial, realizar reuniões e seminários internacionais para estudar, divulgar e promover o património imaterial e concursos e competições para os mais jovens compartilharem os seus pontos de vista sobre as tradições herdadas e o património imaterial.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: