Aconteu
População residente voltou a cair

A população residente em Portugal voltou a cair em 2015, pelo quinto ano consecutivo.
Segundo dados divulgados, dia 16, pelo Instituo Nacional de Estatística (INE), o número de habitantes é agora de 10,34 milhões, ou seja uma redução de 33 492 residentes (-0,32%).
O saldo natural (diferença entre nascimentos e mortos) foi negativo em 23 011 pessoas, tendência igualmente verificada no saldo migratório (-10 481).
O INE assinala um duplo envelhecimento entre 2005 e 2015, período em que o número de idosos aumentou em mais de 316 mil, enquanto diminuiu em 208 mil o número de jovens até aos 15 anos.
Em consequência, a população em idade activa (entre os 15 e os 64 anos) reduziu-se em 278 mil pessoas e a idade média da população residente passou de 40,6 anos, em 2005, para 43,7 anos em 2015.


Desempregados sem subsídio

Cerca de 377 mil desempregados ficaram privados de subsídio da Segurança Social no mês de Maio, segundo dados oficiais publicados dia 20.
De acordo com os números da Segurança Social, naquele mês foram pagas prestações de desemprego a apenas 232 838 requerentes, ou seja, menos 9331 pessoas do que em Abril e o equivalente a 38 por cento do total de desempregados.
Em Abril, o Instituto Nacional de Estatística contabilizou 609,8 mil desempregados, o que representa 12 por cento da população activa.


UNICEF alerta para crianças em risco

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) revelou que cerca de sete mil crianças e adolescentes fizeram a travessia do Norte de África para Itália entre Janeiro e Maio deste ano, o dobro do registado no ano passado.
o relatório «Perigo a cada passo do caminho», divulgado dia 14, a UNICEF salienta que mais de 92 por cento dessas crianças não estão acompanhadas de familiares, alertando para os «riscos tremendos» que correm.
O documento apela aos estados a criarem os sistemas de protecção necessários, assim como canais seguros, legais e regulares para as crianças migrantes e refugiadas que procuram chegar à Europa para escapar à guerra, à miséria e à fome.


Arte urbana anima Loures

Uma centena de artistas de todo o mundo participa no festival de arte urbana que decorre até ao próximo domingo no concelho de Loures.
Durante o evento, promovido pelo município, realizam-se intervenções em diferentes espaços públicos urbanos e rurais.
O concelho de Loures tornou-se uma referência da arte pública, que também tem sido utilizada para promover a inclusão social.
Um dos exemplos mais ilustrativos é o bairro da Quinta do Mocho, em Sacavém, cujas fachadas e empenas pintadas por artistas nacionais e estrangeiros são hoje uma atracção turística, o que levou a autarquia a criar um programa de visitas guiadas.


Lisboa distingue Mário Zambujal

O escritor e jornalista Mário Zambujal foi distinguido, dia 14, com a Medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Lisboa.
Numa nota, o município salienta que «pelo universo romanesco fortemente imaginativo, pelo talento criativo e linguagem original, adequada a uma atmosfera picaresca e cómicos de situação capazes de nos fazer sorrir, mas também reflectir, Mário Zambujal é, por excelência, o escritor da cidade de Lisboa».
Autor da «Crónica dos Bons Malandros», a sua obra de estreia na literatura e seguramente a mais conhecida, Mário Zambujal publicou ainda «Histórias do Fim da Rua», «À Noite Logo se Vê», «Primeiro as Senhoras» e «Uma Noite Não São Dois Dias». Actualmente com 80 anos, é presidente do Clube dos Jornalistas.


TEP homenageia actores

O Teatro Experimental do Porto (TEP) aproveitou a comemoração do seu 63.º aniversário para homenagear um conjunto de actores do teatro português.
Numa sessão que teve lugar, dia 18, no Teatro Nacional de S. João, no Porto, a companhia atribuiu a Alina Vaz, Cecília Guimarães, Luís Alberto, Fernando Filipe e, a título póstumo, Mário Jacques, o título de «sócios honorários», pelo «brilhantismo das suas carreiras, pelo trabalho desenvolvido no TEP e no contexto do teatro português».



Resumo da Semana
Frases