Acções em Lisboa e no Porto
Sim à Paz! Não à NATO!

Estão marcados para os dias 8 e 9 de Julho dois actos públicos em defesa da paz e de rejeição dos objectivos belicistas da cimeira que a NATO realiza nesses mesmos dias na capital da Polónia, Varsóvia: em Lisboa, a concentração está convocada para as 18 horas de dia 8, na Rua do Carmo, enquanto no Porto se inicia às 11 horas do dia seguinte na Rua de Santa Catarina (junto ao Via Catarina). Ambas as acções são promovidas por um conjunto de organizações nacionais, entre as quais se destacam o CPPC e a CGTP-IN.

No jornal que editaram no âmbito desta campanha (os textos estão disponíveis em www.cppc.pt) estas organizações denunciam os objectivos belicistas da cimeira, particularmente a intensificação da pressão militar face à Federação Russa. Esta expressa-se através da transferência de consideráveis contingentes militares para a região e da realização recente dos maiores exercícios de sempre da NATO na Europa de Leste, particularmente na Polónia e nos países do Báltico. O alargamento da presença da NATO no Médio Oriente, o estreitamento da relação com a União Europeia e o aumento dos gastos militares dos membros europeus são outros dos objectivos da cimeira contestados pelas organizações.

Para além de rejeitarem os objectivos da cimeira, as organizações promotoras das iniciativas de Lisboa e do Porto têm como reclamações principais a «retirada de todas as forças da NATO envolvidas em agressões militares», o fim da «chantagem, desestabilização e guerras de agressão contra estados soberanos», o apoio aos refugiados, o encerramento das bases militares em território estrangeiro e o desmantelamento do sistema anti-míssil, o desarmamento e a abolição das armas nucleares e de destruição massiva, e a dissolução da NATO. Das autoridades portuguesas exigem o cumprimento dos princípios constitucionais e da Carta das Nações Unidas.

Entretanto, um conjunto de personalidades lançaram um abaixo-assinado no qual protestam contra a realização da cimeira de Varsóvia. Entre os primeiros subscritores estão os presidentes das câmaras municipais de Almada, Loures, Moita e Seixal, o Secretário-geral da CGTP-IN e a presidente da direcção nacional do CPPC, Arménio Carlos e Ilda Figueiredo, o historiador Manuel Loff, os actores André Albuquerque e Joana Manuel, os músicos Guilhermino Monteiro, Luís Cunha e Tiago Santos, os jornalistas Alfredo Maia e José Goulão, entre outros. O documento é intitulado «Assinamos pela Paz» e está disponível para subscrição na Internet.

Para além de Portugal, realizam-se acções de protesto contra os objectivos da cimeira da NATO noutros países, como a República Checa, Chipre, EUA e na própria Polónia.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: