20 mil pipas <br>para repor a justiça

O «Interprofissional» do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) tornou público, na passada semana, o aumento em apenas 3900 pipas o quantitativo do benefício (vinho generoso) para esta campanha, passando para um total de 114 900 pipas.

Para a Associação dos Vitivinicultores Independentes do Douro (Avidouro) este aumento é «muito baixo» e «insatisfatório», desde logo «porque ainda está longe de repor, por exemplo, o quantitativo beneficiado de 2006, fixado em 123 500 pipas» e por ser o próprio IVDP a assinalar que «têm melhorado a exportação e o consumo do vinho do Porto».

A Avidouro reclama um aumento de 20 mil pipas, uma vez que em 2016 já triplicaram os custos de produção com os tratamentos à vinha por causa das doenças do míldio e do oídio. Em alguns concelhos da Região Demarcada do Douro, os viticultores tiveram grandes prejuízos por causa do granizo que caiu no início do mês de Julho.

A associação exige, por outro lado, «melhorias no escoamento e nos preços, à produção, dos nossos vinhos», assim como a anulação do Decreto-Lei n.º 152/2014, uma «lei-roubo» da Casa do Douro, que foi «imposta pelo anterior governo e pela anterior maioria na Assembleia da República».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: