A Câmara
do Seixal
exige mais
e melhor investimento na saúde
Câmara do Seixal reclama respostas Estado
Utentes desesperam <br>por Saúde

No concelho do Seixal, 28 279 utentes não têm médico de família, dos quais 14 619 são da freguesia de Amora e 13 660 da freguesia de Corroios.

Image 20989

Segundo dados disponibilizados pelo ACES Almada – Seixal, citados numa tomada de posição aprovada pela Câmara do Seixal, os perto de 30 mil utentes sem médico de família totalizam 17,4 por cento da população inscrita nos serviços de saúde públicos, percentagem acima da média nacional, que é de 12,1 por cento (Relatório da Administração Central do Sistema de Saúde, IP – Maio de 2015).

A autarquia, de maioria CDU, critica, por outro lado, a «insuficiência» de recursos humanos e equipamentos na região, como se observa na cobertura de camas hospitalares a nível nacional, que em 2010 era de 3,4 camas para 1000 habitantes, enquanto na Península de Setúbal era de 1,73 camas (2012).

«Esta situação resulta num diferencial entre a média nacional e a Península de Setúbal de 1,67 [camas por mil habitantes], o que perfaz 1302 camas hospitalares em falta», denuncia a Câmara do Seixal.

Por sua vez, a nível nacional o número de médicos hospitalares era de 196 médicos por cada 100 mil habitantes em 2011, enquanto na Península de Setúbal era de 104 médicos, resultando esta situação num diferencial de 92, o que perfaz 714 médicos hospitalares em falta.

Neste sentido, a Câmara Municipal – que tem defendido desde sempre os interesses das populações, ao reivindicar mais e melhor resposta no acesso à saúde – exige do Estado Central medidas que permitam uma resposta adequada às necessidades da população, em matéria de cuidados de saúde primários e cuidados hospitalares.

Reafirma, por isso, a necessidade de construção do hospital do Seixal, do novo centro de saúde de Corroios, das extensões de saúde dos Foros de Amora e Aldeia de Paio Pires, assim como o alargamento imediato dos horários de funcionamento dos Serviços de Atendimento Complementar e dos Serviços de Atendimento Permanente (SAP) nos três centros de saúde (Amora, Corroios e Seixal).




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: