Breves
Mora
Governo recua

Os pais, encarregados de educação e os eleitos nas listas da CDU alcançaram uma importante vitória na luta desenvolvida contra a decisão do Ministério da Educação, que visava o encerramento de duas turmas do 1º Ciclo, nas escolas de Cabeção e de Pavia.

Em comunicado, a Comissão Concelhia de Mora do PCP congratulou-se com o recuo forçado do Governo, e detalha que a tentativa de fecho das turmas nos referidos estabelecimentos violava o critério regulamentado para a formação de turmas, pretendendo juntar «numa mesma turma crianças do 1.º, do 2º, do 3º e do 4.º ano com todas as consequências negativas que daqui adviriam, nomeadamente no plano pedagógico, e provocando uma destabilização da abertura do novo ano-lectivo».

«Por outro lado, esta medida constituiria mais um passo na intenção não declarada, mas subjacente, do futuro encerramento destas duas escolas, que iriam juntar-se à lista negra onde já constam a de Malarranha e a de Brotas encerradas respectivamente por governos do PS e do PSD.

Conscientes de tamanha injustiça e da importância de um ensino de qualidade para todas as crianças e particularmente para os seus filhos, importa sublinhar e enaltecer a mobilização firme dos pais, encarregados de educação e eleitos da CDU, que com a sua luta impediram este encerramento», afirma-se no texto, concluindo-se que «uma vez mais se confirma que é pela luta que se defendem os direitos das populações».


Ovar
Pão-de-Ló IGP

A Comissão Concelhia de Ovar reuniu e saudou a Associação de Produtores de Pão-de-Ló de Ovar (APPO) pela atribuição àquele produto regional, a 24 de Agosto, da denominação Indicação Geográfica Protegida (IGP). «Alcançando esta classificação de âmbito europeu, o Pão-de-Ló de Ovar passará a ser protegido enquanto “bem público comunitário”», revela a CC de Ovar.

«Este estatuto estabelece requisitos sobre a matéria-prima e a garantia da sua origem geográfica, o fabrico e o acondicionamento do produto, assim como aspectos da sua comercialização, como elementos específicos da rotulagem, estrutura de controlo e certificação, entre outros», adianta-se ainda na nota enviada à comunicação social, antes de se informar que «no encontro entre o PCP e a APPO foram abordadas as razões para os avanços e recuos do seu festival e a criação da Confraria do Pão-de-Ló de Ovar, a par das propostas para o reforço da afirmação desta iguaria gastronómica, integrada numa estratégia global de atracção turística, como é o caso da criação da “Casa do Pão-de-Ló e da Identidade Vareira”».

«O PCP aproveita para reafirmar que a sua percepção política percorre, também, as raízes populares portuguesas, como factor de consciência cívica, de cultura e de vida. Assegurar a diversidade cultural de cada região e localidade é um factor importante para o seu desenvolvimento económico e social. Neste contexto, o Pão-de-Ló distingue positivamente Ovar de todos os restantes municípios», concluiu-se.