Aconteu
População idosa duplicou em 40 anos

As pessoas com mais de 65 anos representam cerca de 20 por cento da população portuguesa, tendo o seu número aumentado de perto de um milhão em 1977 para mais de dois milhões em 2015.
Segundo dados do portal estatístico Pordata, divulgados, dia 1, por ocasião do Dia Mundial do Idoso, Portugal é o quinto país mais envelhecido da UE e o sétimo com maior percentagem de pessoas idosas a viverem sozinhas abaixo do limiar da pobreza.
A taxa de risco de pobreza, após transferências sociais, nos agregados domésticos de indivíduos com 65 anos ou mais era de 30,1 por cento. Esta situação resulta em grande parte das baixas prestações sociais.
O site Pordata refere, por exemplo, que o valor real da pensão mínima de velhice e invalidez é praticamente idêntico ao de 1974.
Descontada a inflação verifica-se que esta prestação era de 251 euros em 1974 contra 253,7 euros em 2015, ou seja apenas mais três euros do que há 40 anos.


Quatro medalhas nas olimpíadas<br>de matemática

Quatro jovens portugueses conquistaram duas medalhas de prata e duas de bronze nas 31.as Olimpíadas Ibero-Americanas de Matemática que terminaram, dia 1, em Antofagasta, no Chile.
Alberto Pacheco (Gondomar) e Matilde Silva (Coimbra) chegaram à prata, enquanto Gonçalo Paredes (Coimbra) e Manuel Cabral (Lisboa) obtiveram o bronze.
A participação de Portugal nas olimpíadas foi organizada pela Sociedade Portuguesa de Matemática.


Faleceu o escritor Mário Braga

O escritor Mário Braga faleceu, dia 1, em Lisboa, aos 95 anos. Nascido em Coimbra, a 14 de Julho de 1921, licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde lecionou.
Estreou-se como escritor em 1944, com o livro de contos «Nevoeiro», publicando até 1997 perto de três dezenas de obras.
Neorrealista, Mário Braga foi editor da revista Vértice entre 1946 e 1970. Ocupou ainda o cargo de director-geral da Secretaria de Estado da Comunicação Social e integrou o Conselho Consultivo das Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian.


Colecção Miró patente em Serralves

A colecção Joan Miró, proveniente do ex-Banco Português de Negócios, está exposta, desde dia 30, no Museu de Serralves, no Porto, onde ficará aberta ao público em permanência.
Passados quase três anos do anúncio da venda do espólio num leilão internacional, o actual primeiro-ministro, António Costa, reiterou que a colecção será mantida como propriedade do Estado português.
A exposição, com desenho arquitetónico de Álvaro Siza Vieira, é constituída por 80 obras, abarcando o período entre 1924 e 1981 da carreira do artista catalão, nos campos do desenho, pintura, colagem e trabalhos em tapeçaria.


Lisboa distingue Manuela de Azevedo

A jornalista Manuela de Azevedo, de 105 anos, recebeu, dia 29, a Medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Lisboa, numa cerimónia nos Paços do Concelho.
Em comunicado o município recorda que Manuela Saraiva de Azevedo «foi a primeira mulher a receber a carteira profissional de jornalista em Portugal», destacando-se como «repórter talentosa, entrevistadora de mérito, crítica de teatro, mas também como escritora e dramaturga».
A 31 de Agosto, dia do seu aniversário, Manuela de Azevedo foi homenageada na sede do Sindicato de Jornalistas, onde recebeu das mãos do Presidente da República a Ordem da Instrução Pública.


Mário Cruz lançou livro<br>sobre Talibés

O livro «Talibes – Modern Day Slaves» (Talibés – Escravos dos Tempos Modernos), sobre crianças escravizadas, de Mário Cruz, foi lançado dia 1 em Lisboa.
A edição quadrilingue (português, inglês, francês e árabe) compila o trabalho galardoado este ano pelo World Press Photo sobre crianças escravizadas no Senegal.



Resumo da Semana
Frases