Aconteu
Tuberculose ainda mata milhões

A Organização Mundial da Saúde estima que 1,8 milhões de pessoas tenham morrido com tuberculose em 2015. Num relatório divulgado dia 13, a instituição alerta para o surgimento de mais de dez milhões de novos casos no ano passado e apela a investimentos globais para erradicar a doença.
O estudo indica que Portugal foi o país da Europa Ocidental com a maior taxa de incidência de tuberculose, com 23 casos por cem mil habitantes, apenas superado por países do Leste como Rússia, Roménia, Moldávia, Geórgia, Ucrânia, Bósnia-Herzegovina, Arménia, Bielorrússia, Letónia e Lituânia, cuja taxa de incidência foi de 36 casos por cem mil habitantes.


Um quinto em risco de privação material

Quase um em cada cinco portugueses estava, em 2015, em risco de privação material, segundo dados divulgados, dia 17, pelo Eurostat, no âmbito do Dia Internacional para a Eliminação da Pobreza.
O gabinete oficial de estatísticas da União Europeia revela que a Roménia é o país onde maior número de pessoas estava em risco de privação material (24,5%), seguindo-se a Letónia (22,5%), a Lituânia (22,2%), a Espanha (22,1%), a Bulgária (22,1%), a Estónia (21,6%), a Grécia (21,4%), a Itália (19,9%) e, em oitavo lugar, Portugal (19,5%).


Manuel de Oliveira, o Cinema e Eu

O documentário «O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu», de João Botelho, estreou-se, dia 13, nas salas de cinemas do País.
Neste filme, João Botelho recorda como conheceu Manoel de Oliveira, quando ainda andava na Escola de Cinema, enaltece o pensamento do realizador e comenta excertos de alguns dos filmes que mais estima, como «Amor de Perdição», «Vale Abraão» e «Palavra e Utopia».
Além de excertos de filmes, cenas emblemáticas da história do cinema português, o documentário inclui ainda uma cena da película «Conversa Acabada» (1981), a primeira longa-metragem de João Botelho, na qual Manoel de Oliveira interpreta o papel de um padre.


Festival de Marionetas encanta o Porto

A 27ª edição do Festival Internacional de Marionetas do Porto decorre até ao próximo domingo, 23, oferecendo um programa diversificado, com dezenas de apresentações e espectáculos e ainda uma livraria ambulante proveniente de Évora.
Iniciado dia 13, no Palácio do Bolhão, o festival tem como sede o Teatro Municipal Rivoli, estendendo-se por alguns locais emblemáticos da cidade, como o Teatro Nacional São João ou a Sala de Tribunal do Mosteiro de São Bento da Vitória.
Com espectáculos vindos da Alemanha, da Inglaterra, França e do Brasil, a par de vários grupos portugueses, o festival apresenta-se ainda em espaços inesperados como a estação de metro da Trindade, ou a associação de moradores do bairro da Pasteleira.
Várias actividades são de acesso gratuito, designadamente todos os Workshops, bem como a peça «O Capuchinho Vermelho», da Era Uma Vez, Teatro de Marionetas.


Nobel da Literatura atribuído a Dylan

O prémio Nobel da Literatura 2016 foi atribuído a Bob Dylan, segundo anunciou dia 13, a Academia Sueca, realçando que o compositor norte-americano mereceu o prémio por ter criado novas formas de expressão poéticas e encarnar a grande tradição poética inglesa.
Nascido a 24 de Maio de 1941, em Duluth, no Minnesota, Dylan (verdadeiro nome Robert Allen Zimmerman) aprendeu sozinho a tocar harmónica, guitarra e piano. Interessou-se pelo «folk» e pelo «blues» e foi particularmente influenciado por Woody Guthrie.


Faleceu dramaturgo Dario Fo

O escritor italiano, dramaturgo, actor e encenador, Dario Fo, Prémio Nobel da Literatura em 1997, faleceu, dia 13, aos 90 anos, em Milão, onde se encontrava hospitalizado devido a problemas respiratórios.
Nascido a 24 de Março de 1926, no pequeno município de Sangiano, província de Varese (Norte de Itália) estudou pintura e arquitectura, mas foi como escritor que ganhou maior notoriedade, deixando mais de cem peças de teatro, que ele próprio interpretava, bem como numerosos livros, em que abordou os problemas da sociedade contemporânea.



Resumo da Semana
Frases