Silves descentraliza

Em Silves, o orçamento da Câmara para 2017, no valor de 38,9 milhões de euros, contempla 10,9 milhões de euros para investir em empreitadas e obras de requalificação, verba que será repartida pelas oito freguesias do concelho.  
Em São Marcos da Serra, por exemplo, está prevista a criação de uma área de serviço para autocaravanas e de um espaço multiusos, enquanto em Messines serão realizadas obras para o abastecimento de água e criado um parque de feiras e um terminal rodoviário.
Já na freguesia de Silves, sede do concelho, haverá melhoramentos na zona envolvente às piscinas municipais e no centro histórico, também ao abrigo do programa Polis.
Para Algoz estão previstas obras de requalificação em estradas, em Tunes prevê-se o avanço da segunda fase de um espaço polivalente e em Alcantarilha será feito um investimento no espaço de feiras e mercados.
Por último, em Armação de Pera será construído um novo espaço para a Junta de Freguesia, prevendo-se ainda a requalificação de algumas ruas e a correcção de problemas ao nível do escoamento de águas pluviais.
Em declarações à Lusa, Rosa Palma, presidente da Câmara, lembrou que no seu mandato já foi possível reduzir o passivo financeiro da autarquia, que era de 23 milhões quando a CDU chegou à liderança do executivo, em 2013. «Estamos a reduzir ao longo deste mandato o passivo financeiro da Câmara na ordem dos 12,7 milhões de euros», sublinhou a eleita do PCP.
O orçamento da Câmara de Silves foi aprovado em Novembro com os votos a favor da CDU e a abstenção dos vereadores do PSD e PS.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: