Aconteu
Entrevista a Jerónimo de Sousa

A UNICEPE – Cooperativa Livreira de Estudantes do Porto, acolheu no dia 4 uma sessão pública de apresentação do livro «Jerónimo de Sousa – entrevista por Carlos Ferreira». Editado pela «Modo de Ler», as suas páginas incluem uma entrevista, do jornalista Carlos Ferreira, e uma pintura original do retrato do Secretário-geral do PCP, do artista portuense António Fernando.

A sessão contou com as intervenções de Rui Vaz Pinto, presidente da UNICIPE, de Carlos Ferreira e de Jaime Toga, da Comissão Política do Comité Central do PCP.

Falando de Jerónimo de Sousa, Rui Vaz Pinto destacou as suas qualidades pessoais e o contributo que assegura inserido no colectivo partidário.

Jaime Toga acentuou, por seu lado, que aquele livro fala «da vida e do percurso de Jerónimo de Sousa», mas fá-lo partindo «do exemplo de um incansável lutador». «A entrevista não esconde as incertezas, dificuldades e dureza da luta, mas está toda ela marcada pela determinação combativa e pela confiança que leva o entrevistado a afirmar que “Quando existe determinação e confiança não existem obstáculos intransponíveis”», sublinhou Jaime Toga.

Por último, Carlos Ferreira destacou o papel do PCP na nova fase da vida política nacional. No prefácio do livro, o jornalista lembra que «este não é um trabalho de cariz biográfico» e que «as respostas correspondem a um trabalho elaborado à margem da superficialidade que tantas vezes esconde o facilitismo propositado». Confidencia, também, que naquele trabalho se encontram «duas pessoas que manifestam convergência ideológica e política, mas nem por isso perde valor esta conversa».


Petição aos reis magos

A Associação de Bolseiros de Investigação Científica (ABIC) está a promover uma petição «pela actualização dos valores das bolsas». «Com 2020 no horizonte», o documento – que pode ser subscrito em http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=ABIC – é dirigido aos «queridos reis magos», a quem se pede que «haja uma actualização extraordinária do valor das bolsas de forma a repor o poder de compra» que os bolseiros perderam ao longo dos últimos 15 anos, devido à inflação (neste momento cerca de 23,7% - valor baseado no deflator do PIB). Para que a situação não se repita, a ABIC defende actualizações anuais dos valores das bolsas.

 


Mora incentiva natalidade

Em 2016, os incentivos à natalidade no concelho de Mora atingiram 24 mil euros, correspondentes ao nascimento de 33 bebés, um número recorde desde que a autarquia lançou estes apoios às famílias. Dos bebés nascidos, 21 foram primeiros filhos, nove foram segundos e três foram terceiros filhos.

Desde o lançamento dos apoios em 2004 e até agora, a Câmara de Mora já atribuiu um global de 221 500 euros em incentivos, correspondentes a 288 novos habitantes. O município apoia os nascimentos no concelho com 500 euros para o primeiro filho, mil euros para o segundo e 1500 euros a partir do terceiro.

A Câmara realça, no entanto, que «a fixação das pessoas no concelho deve-se, sobretudo, às condições de desenvolvimento sustentado que a região atravessa», com a consolidação da pequena indústria, o incremento do turismo e medidas municipais de apoio à habitação jovem.

 


Ataque à mobilidade na Pontinha

Na Pontinha, Odivelas, encerrou o único posto de venda de títulos de transporte da Rodoviária de Lisboa, que funcionava na livraria «Joaninha». Neste momento, os moradores desta freguesia que necessitem de adquirir títulos de transporte desta empresa pública terão que se deslocar a Odivelas ou a Caneças.

 


José Carlos Vasconcelos recebe prémio

O Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural foi atribuído, no dia 3 de Janeiro, ao jornalista, poeta e jurista José Carlos Vasconcelos, 76 anos, director do quinzenário JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias.

«Fico contente com este prémio, de que não estava à espera. Para quem anda nestas coisas da Cidadania Cultural há quase 60 anos é, por um lado, um reconhecimento e, por outro, um estímulo», disse, à Visão, o premiado, reconhecendo a importância desta distinção para o JL, que classificou como «uma luta de resistência desde há 35 anos».

A candidatura do director do JL recolheu a unanimidade do júri por ser uma «personalidade que se tem afirmado em todos os domínios em que tem exercido actividade, como das figuras mais marcantes da vida portuguesa nos dias de hoje».

 


Energia renova China

O Conselho de Estado da China aprovou, no dia 5 de Janeiro, o investimento e 345 mil milhões de euros para projectos de energias renováveis, no âmbito de um plano para combater a poluição. A iniciativa, a concretizar até 2020, vai criar mais de 13 milhões de empregos.

Actualmente, o carvão é a principal fonte de energia utilizada na China e representa até 64 por cento do consumo energético do país, segundo dados de 2015.

 



Resumo da Semana
Frases