A campanha está a dar bons resultados mas há ainda muito que fazer
Divulgar o Avante!
é levar mais longe
a voz do Partido

CAMPANHA Aproxima-se do fim a campanha de divulgação do Avante!, que ao longo do último ano tem mobilizado as organizações e militantes do Partido, com resultados assinaláveis. Porém, o tempo não é ainda de balanços, mas de implementar com determinação as medidas que assegurem uma maior difusão do órgão central do PCP, tanto junto dos militantes e simpatizantes comunistas como dos trabalhadores e do povo em geral.

Image 22397

Nesta como noutras situações, é caso para dizer que a campanha nunca acaba. Tal como sucede, por exemplo, com o recrutamento de novos militantes (que por vezes é alvo de campanhas específicas), também a difusão do Avante! é, e deve ser sempre, uma preocupação constante das organizações, quadros e militantes comunistas, por ser daquelas questões estruturantes da actividade e organização de um Partido Comunista.

A campanha de divulgação do Avante! que está em curso tem precisamente o objectivo de, num período concentrado de tempo, focar as atenções das organizações e militantes do Partido nesta tarefa fundamental, definindo metas, debatendo soluções, implementando as medidas necessárias. Quando ela terminar – e ainda não se chegou lá – haverá não apenas um maior número de leitores regulares do jornal, mas também mais quadros do Partido envolvidos na sua divulgação, uma mais vasta rede de distribuição e a realização mais frequente de bancas junto de empresas, terminais de transporte público, praças e outros locais de grande concentração popular. Ou seja, estarão criadas melhores condições para consolidar os passos alcançados e para dar novos saltos na difusão da imprensa do Partido.

Ao longo do último ano, como mostrámos em diversas peças publicadas no Avante!, as organizações do Partido têm-se esforçado por implementar um conjunto de medidas que permitam aumentar, de forma sustentada, a venda do Avante!. Partindo de realidades diversas, foram também diferentes as soluções encontradas para concretizar esse mesmo objectivo: umas concentraram-se sobretudo na responsabilização de mais quadros pela distribuição da imprensa, assumindo a organização partidária como elemento central para o aumento da difusão do Avante!; outras procuraram disseminar os pontos de recepção e distribuição da imprensa (conhecidos por ADE), fazendo com que o jornal chegasse a mais empresas, freguesias, localidades ou bairros; outras ainda partiram da dinamização de uma mais regular e ousada venda pública para daí fidelizar novos leitores, dentro e fora do Partido. Todas demonstram uma profunda compreensão da importância de uma mais alargada difusão do Avante!, partilham a mesma convicção de que o Partido depende apenas de si próprio e dos seus meios para afirmar o seu projecto e o seu Programa e contam com quadros e militantes convictos e dedicados.

Até ao fim da campanha, e para lá dela, há ainda muito que fazer, discutindo e aplicando as necessárias medidas de direcção – na elaboração de listas de potenciais leitores (dentro e fora do Partido) e no contacto com cada um deles e na responsabilização de mais quadros pela distribuição e venda do Avante!.

Como foi sublinhado na última reunião do Comité Central, a campanha de difusão do Avante! constitui, no imediato, uma «importante prioridade na actual situação face ao silenciamento, manipulação e mentira que é lançada contra o Partido e o seu projecto».
 

Um jornal com múltiplas valências

A importância, hoje, da leitura e estudo do Avante!, e por maioria de razão da sua maior difusão na organização partidária e junto das massas, é um assunto merecedor de análises e reflexões mais profundas do que à partida pode parecer.

Marx, Engels e Lénine dedicaram, no seu tempo, uma grande importância à imprensa, tanto no plano teórico como na prática: a Nova Gazeta Renana, o Iskra e o Pravda foram fundados e dirigidos pelos mestres do socialismo científico e, como outros depois deles, orientaram e guiaram os comunistas, os revolucionários, os trabalhadores, em exaltantes combates políticos e de classe. O mesmo fez o Avante!, que nasceu na clandestinidade, foi voz das mais profundas conquistas da Revolução e desde há quatro décadas esclarece, mobiliza e dá sentido à luta de resistência à política de direita e pela construção de uma alternativa de progresso, justiça social e soberania, que tem no horizonte a democracia avançada, o socialismo e o comunismo.

Em tempos de violenta ofensiva do imperialismo, que nos planos da informação e da ideologia é travada com poderosos e sofisticados meios, os comunistas, os trabalhadores e os povos precisam de uma voz própria e independente dos interesses e da ideologia do grande capital. Em Portugal, o Avante! é essa voz, ao noticiar o que outros silenciam, ao desmontar as mensagens veiculadas pela restante comunicação social, ao abordar os assuntos da actualidade do ponto de vista da classe operária, dos trabalhadores e dos povos, ao procurar elevar nível cultural dos seus leitores.

Sendo um jornal – com notícias, reportagens, entrevistas –, o Avante! não é um jornal como os outros: de inspiração leninista, é, ele próprio, um instrumento da luta do Partido do qual é porta-voz. Nas suas páginas explana-se as análises, posições e propostas do PCP e as actividades das suas organizações, ao mesmo tempo que se expõe e defende o seu Programa, o mesmo que aponta como etapa actual da luta pelo socialismo e o comunismo a construção de uma democracia avançada, «inteiramente correspondente aos interesses da classe operária, dos trabalhadores e das outras classes e camadas antimonopolistas e às necessidades nacionais». Não é, pois, de estranhar, que seja nas páginas do Avante! que os problemas, aspirações e lutas dos trabalhadores e das outras classes e camadas antimonopolistas têm expressão.

É de sublinhar ainda o papel do Avante! no reforço mais geral do Partido, questão decisiva em todas as fases e etapas da luta dos comunistas pelos seus objectivos: pelo que permite de alargamento do prestígio e das fileiras do Partido, ao abordar e dar voz às aspirações de amplas camadas populares; pelo que representa na melhoria do nível da militância comunista; pelo potencial organizativo que encerra. Difundir o Avante! contribui decisivamente para reforçar o Partido, da mesma maneira que só com um Partido mais forte será possível alargar, de forma sustentada, a venda do Avante!.


Decidir, concretizar e avançar  

A duas semanas do final da campanha nacional de difusão do Avante!, está ao alcance das organizações do Partido a concretização do audacioso, mas possível, objectivo de aumentar consideravelmente a venda semanal do órgão central do PCP. Para confirmar o êxito, importa persistir no caminho traçado e na implementação decidida das medidas definidas aquando do lançamento da campanha.

Como a campanha já demonstrou, é possível levar mais longe a difusão do Avante!, aumentando a venda regular a mais militantes do Partido e a outros, através de uma audaciosa acção de contacto voltada para fora. A elaboração de listas de possíveis futuros compradores, com a devida responsabilização de quadros pelo contacto com cada um deles, e o alargamento do número de militantes que assumem a distribuição do jornal são, no imediato, as direcções de trabalho prioritárias. Concretizando-as, o êxito da campanha será uma realidade!
   

Novo grafismo, melhor leitura

Para além das medidas visando uma maior difusão do Avante! a serem assumidas pelas organizações do Partido, a campanha teve também expressão «do lado de cá»: a partir da semana passada foi alterado o grafismo do jornal, permitindo uma melhor leitura e uma maior valorização dos seus conteúdos e imagens, salvaguardando e valorizando o Avante! como órgão central do PCP e porta-voz da luta dos trabalhadores e do povo. Nesta altura, esta nova «cara» permite ainda ajudar à recta final da campanha e ao cumprimento cabal dos seus objectivos.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: