Breves
MURTOSA
Colónia de férias da Torreira deve reabrir

O PCP defende a reabertura da Colónia de Férias da Torreira, no concelho da Murtosa, realçando a «utilidade e prestígio» deste serviço público, encerrado pelo anterior governo PSD-CDS. Na sequência da visita de uma delegação do Partido ao local onde durante anos funcionou a colónia, os comunistas entendem que o equipamento onde esta funcionava deve ser mantido na esfera pública, seja qual for a sua finalidade, ao mesmo tempo que realça que a colónia deve reabrir, seja neste equipamento ou noutro. A Colónia de Férias da Torreira foi administrada pela Fundação Bissaya Barreto entre 1996 e 2014, ao abrigo do acordo celebrado com o Centro Regional de Segurança Social do Centro. A sua missão era garantir a diferentes grupos etários e famílias em situação de maior vulnerabilidade socioeconómica o direito ao gozo de férias e lazer, em condições dignas e ambiente salutar. Pela colónia passaram mais de 50 mil utentes, o que representa cerca de 2500 por ano.


OLIVEIRA DO HOSPITAL
Centro de Saúde requer obras urgentes

Uma delegação do PCP esteve recentemente junto ao Centro de Saúde de Oliveira do Hospital a prestar contas da intervenção do grupo parlamentar comunista relativa às diversas questões levantadas aquando da visita dos deputados ao local no passado mês de Abril. Na sequência dessa jornada, o grupo parlamentar do Partido dirigiu um conjunto de questões ao Governo sobre a reestruturação do Centro de Saúde e as suas actuais extensões, bem como sobre a existência, ou não, de um plano calendarizado para substituir a cobertura de fibrocimento da unidade. Na mais recente visita ao local, os comunistas ouviram uma vez mais queixas relativas à falta de pessoal e à deterioração do edifício, patente na falta de espaço nos corredores para a passagem de macas, zonas de piso descoberto a necessitar de recobrimento e impermeabilização, aparelhos de ar condicionado danificados levando a que existam poças de água entre secretárias. Em resumo, insiste o PCP, o edifício carece de uma intervenção célere à qual urge juntar a substituição da actual cobertura.


LISBOA
PCP defende trabalhadores do município

O PCP acusa PS, PSD e CDS de estarem unidos no ataque aos direitos dos trabalhadores da higiene urbana do município de Lisboa. Na base da acusação está a proposta feita pelo PSD na última sessão da Assembleia Municipal, realizada no dia 6, visando a alteração dos turnos dos trabalhadores que fazem a recolha dos resíduos, passando estes a trabalhar aos domingos e feriados, que hoje contam como dias de descanso e que contarão como dias normais de trabalho, ou seja, sem contabilização como horário extraordinário. O PCP, considerando inaceitável a retirada de direitos aos trabalhadores, votou contra esta recomendação. Postura oposta teve o PS, que votou favoravelmente, ao lado do PSD e do CDS, de mais este ataque aos direitos de quem trabalha.