Breves
Aumentos na UPS

Nos salários de Junho, a UPS vai processar uma actualização salarial de 1,5 por cento, com efeitos retroactivos a 1 de Janeiro, revelou o SNTCT, realçando que, pelo segundo ano consecutivo e devido à intervenção sindical, foi rompido um ciclo de nove anos sem aumentos salariais. Por falta de resposta da operadora logística internacional à proposta entregue a 20 de Janeiro, o sindicato da Fectrans/CGTP-IN recorreu à DGERT a mediação, o que suscitou a decisão patronal.


Acordo na Lacticoop

Na negociação da revisão salarial, a Fectrans e a Lacticoop acordaram, no dia 2, uma subida de dois por cento na retribuição-base dos motoristas, que é agora de 660 euros (Grupo IX). Foram actualizadas outras prestações pecuniárias e o período anual de férias é de 25 dias.


Retalho de Aveiro

Em média, os salários dos trabalhadores do comércio retalhista de Aveiro são aumentados 49 euros, resultado do acordo de revisão do contrato colectivo, alcançado no final de Maio entre o CESP/CGTP-IN e a associação patronal. A tabela salarial, informou o sindicato, tem uma actualização com vigor de 1 de Setembro a 31 de Dezembro de 2016; uma segunda fase dos aumentos salariais vigora a partir de 1 de Janeiro. Para o CESP é «muito positiva a integração de uma cláusula que prevê o pagamento em dobro a todos os trabalhadores que prestam trabalho normal em dia feriado».


Lembrar José Barata

A Associação de Praças promoveu uma romagem à campa de José Barata, no cemitério de Oeiras, no dia 7, quando passaram três anos da morte daquele resistente antifascista, militante comunista e participante na Revolta dos Marinheiros de 1936, motivo por que foi detido e enviado para o campo de concentração do Tarrafal, integrando o grupo dos primeiros 150 presos que o fascismo enviou para o Campo da Morte Lenta, entre os quais estavam 34 marinheiros. A Associação de Praças, da qual era membro honorário, tem realizado desde 2015 esta homenagem anual a José Barata, que em 1999 recebeu a Ordem da Liberdade.