PCP presente em congressos no Uruguai e na Catalunha

O PCP esteve representado no XXXI Congresso do Partido Comunista do Uruguai, que decorreu entre 2 e 4 de Junho em Montevideu sob o lema «100 anos da Revolução de Outubro», por Cátia Lapeiro, do Comité Central. O congresso culminou 120 dias de discussão por todo o país, em mais de 300 organismos, tendo sido eleitos mais de 900 delegados.

Começando com uma homenagem ao centenário da Revolução de Outubro, o congresso debateu depois vários temas e aprovou as suas conclusões com amplo acordo, para além de ter aprovado também resoluções de solidariedade sobre questões internacionais, como Cuba, Venezuela, Brasil, Chile, Paraguai e Colômbia. No último dia foi eleito o Comité Central, composto por 75 membros.

Na resolução geral, os comunistas uruguaios lembram o momento de crise do capitalismo e da contra-ofensiva do imperialismo, particularmente intensa na América Latina, «zona do planeta onde mais avançaram as construções alternativas». No Uruguai, garantem, a luta popular organizada e a acção do governo da Frente Ampla têm impedido impactos mais brutais, mas isso «não chega» e «há que avançar», com um novo nível de acumulação de forças populares. O PCU assume ser tarefa dos comunistas continuar a desenvolver e a fortalecer o bloco histórico que impulsiona a transformação social, através de uma visão estratégica de aprofundamento da democracia, «construindo uma democracia avançada, rumo ao socialismo e ao comunismo».

O reforço do partido e da juventude comunista em todas as dimensões – numérica e em organização, capacidade de luta, formação ideológica e influência social – foi realçado como questão central para o cumprimento dos objectivos políticos traçados.

Na saudação enviada ao congresso, o PCP lembra que o PCU «é um partido com honrosas tradições de luta, que tem desempenhado um papel insubstituível na defesa dos interesses e aspirações das massas trabalhadoras assim como na construção de importantes formas de articulação e unidade democrática e progressista» e expressa a vontade de «estreitar sempre mais os tradicionais laços de amizade e solidariedade» entre os dois partidos.

Fraternidade e camaradagem

Sob o lema «Comunistas para o bem comum. Um partido para a Revolução Democrática», decorreu nos dias 3 e 4 de Junho, no Teatro principal de Badalona, na região de Barcelona, o 1.º Congresso dos Comunistas da Catalunha. O PCP fez-se representar por Rui Braga, do Secretariado do Comité Central, que no decorrer da sua intervenção teve oportunidade de esclarecer sobre a situação em Portugal, decorrente da nova fase da vida política nacional, o desenvolvimento da luta dos trabalhadores e do povo e a iniciativa do PCP, com destaque para o amplo e diversificado programa do Partido para as comemorações do Centenário da Revolução de Outubro.

O Congresso realizou-se num ambiente fraterno e de grande camaradagem, num espaço completamente lotado e onde estiveram em evidência as questões da luta e da solidariedade internacionalista, nomeadamente para com a luta dos trabalhadores e dos povos da Palestina, Venezuela e Cuba.

A intervenção de encerramento dos trabalhos coube a Joan Josep Nuet, eleito Secretário-geral, começando com um sincero e fraterno agradecimento às várias delegações presentes, e na qual valorizou aspectos da luta e do seu desenvolvimento, particularmente na região da Catalunha, deixando ainda um apelo ao reforço do partido.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: