Mas o que acontece é que qualquer agente entra aqui [na Cova da Moura], faz a maior barbaridade do mundo e não é questionado, porque se defende com o estereótipo e o estigma que existe relativamente ao bairro.”

(Jakilson Pereira, Público, 13.7.17)

 

“Este modelo [policiamento de proximidade] é claramente o modelo dos países desenvolvidos, mas estamos a afastar-nos dele.”

(Manuel Morais, idem, ibidem)

 

“Quando me tornei funcionário do PCP, vim ganhar um terço do que recebia e hoje como presidente da câmara [do Barreiro] recebo aquilo que os funcionários do PCP recebem. O resto entrego ao meu partido.”

(Carlos Humberto Carvalho, i, 14.7.17)

 

“Há uma tentativa para me retirar do jogo político.”

(Luís Inácio Lula da Silva, Público, 14.7.17)

 

“O que Macron fez foi manter intacto do ponto de vista de classe e opções políticas o sistema a que dá rosto.”

(Jorge Cordeiro, DN, 14.7.17)

 

«Remunerações em Portugal abaixo do nível de 2000»

(Título do Expresso/Economia, 15.7.17)

 

”O presidente Trump ignora o apoio de amplos sectores norte-americanos, incluindo da maioria da imigração cubana, ao levantamento do embargo comercial e à normalização das relações.”

(Raul Castro, Público, 16.7.17)

 

A concretizar-se, a anunciada compra pela Altice do grupo Media Capital, onde se inclui a TVI, e a intenção de criação de um banco, dão expressão à progressiva concentração e domínio monopolista da economia portuguesa e de reforço de controlo dos grandes meios de comunicação social.”

(Jerónimo de Sousa,
i, 17.7.17)

 

“Heroísmo é ser cigana, viver na Quinta da Fonte e insistir em enviar os filhos à escola, em lutar para eles terem um futuro melhor. Heroísmo não é atiçar o ódio da turba para, no fim, receber o apoio do líder neofascista do PNR e, ironicamente, a crítica violenta de um dirigente do CDS.”

(Pedro Tadeu, DN, 18.7.17)