Uma força com provas dadas em Gondomar

Image 23342

Gondomar é o concelho da Área Metropolitana do Porto com maior influência eleitoral da CDU. Desde o 25 de Abril, por diversas vezes e em contextos distintos, nas freguesias ou no município, em maioria ou minoria, os eleitos da CDU deram provas da sua capacidade de realização, dedicação desinteressada e especial empenho na resolução dos problemas das populações.

Na verdade, em Gondomar, ao longo de todo o período de organização democrática do Poder Local, não há conquista ou luta das populações sem a intervenção decisiva dos eleitos da CDU. Assim foi, por exemplo, com a exigência da rede de saneamento ou, posteriormente, a luta contra os preços praticados, a contestação às concessões de serviços públicos, a requalificação do espaço público, a construção de equipamentos desportivos, sociais, de lazer ou escolas, entre outras justas reivindicações da população. Nos últimos anos, todas as lutas travadas no concelho de Gondomar, com maior ou menor intensidade, tiveram a presença, o apoio, a organização e a voz dos comunistas eleitos e de outros eleitos que encontram na CDU um amplo espaço de convergência democrática. A luta pela remoção dos resíduos perigosos, contra o encerramento de serviços públicos, a denúncia das cedências do executivo municipal aos interesses imobiliários – de que é flagrante exemplo a alteração do PDM e amputação do parque urbano de Rio Tinto – são exemplos recentes da nossa intervenção.

 

A experiência da Junta de Freguesia

Em São Pedro da Cova, a experiência de gestão da CDU, em maioria, iniciada na primeira metade da década de 80, com um interregno entre 1997 e 2001, confirma aquelas que são as características fundamentais do nosso projecto autárquico. Ainda no actual mandato, quando todas as outras freguesias e o município passaram o horário dos trabalhadores para as 40 horas semanais, a Junta da CDU foi a única que não participou neste processo de regressão de direitos laborais, ainda que num contexto de isolamento político e perante fortes pressões.

Há quatro anos, na sequência da reforma administrativa imposta pelo governo do PSD/CDS, as freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova foram agregadas, situação que mereceu e merece a total oposição dos nossos eleitos. Na verdade, apesar de muitos terem anunciado o fim da CDU na gestão da Junta de Freguesia, a luta por nós travada contra a extinção das freguesias foi determinante para que as populações de Fânzeres e São Pedro da Cova considerassem que os nossos eleitos eram os que estavam em melhores condições para defender a identidade, as características, a história, a cultura e os serviços públicos de cada uma das freguesias, ainda que num contexto de agregação forçada.

Perante a nova realidade administrativa, num denso território e com uma dimensão populacional de aproximadamente 40 mil habitantes, a Junta de Freguesia concretizou um conjunto de compromissos que assumiu com a população, criando uma dinâmica de gestão amplamente reconhecida. Neste processo, refira-se ainda que a única uniformização administrativa verdadeiramente concretizada foi o abaixamento das taxas praticadas em Fânzeres, de acordo com os valores que eram praticados em São Pedro da Cova.

 

Que seja agora!

Nas sequência das autárquicas de 2013, em que saímos eleitoralmente reforçados, a CDU conta com 30 eleitos no concelho: um vereador, cinco eleitos na Assembleia Municipal, 16 eleitos em cinco assembleias de freguesias, sete eleitos na Junta de Fânzeres e São Pedro e um eleito em minoria na Junta de Gondomar, Valbom e Jovim. Esta experiência de trabalho, aliada a um processo de alargamento e rejuvenescimento das listas da CDU às próximas eleições autárquicas, permitem-nos afirmar que a CDU está em condições de assumir a gestão da Câmara Municipal de Gondomar.

É esta a possibilidade que temos para colocar aos gondomarenses: uma Câmara capaz de resolver os problemas estruturais do concelho, na mobilidade, na defesa dos sectores tradicionais, na dinamização cultural, no combate à exclusão social, na defesa dos serviços públicos, na planificação urbanística, na requalificação do espaço público, na escola pública, entre outras áreas.

Gondomar é de facto um concelho com enormes potencialidades: integra a mais vasta área florestal do Grande Porto, tem a frente ribeirinha mais extensa, tem um valioso património industrial que urge preservar.

É esta real possibilidade de que é possível fazer diferente e fazer melhor que está a criar a esperança que Gondomar e os gondomarenses há muito esperavam. Uma esperança que não queremos que continue à espera e, por essa mesma razão, temos repetidamente afirmado que é tempo de concretizar sonhos. Que seja agora!

 

Daniel Vieira, presidente da Junta
da União d
as Freguesias
de Fânzeres e S. Pedro da Cova
e cabeça-de-lista à Câmara de
Gondomar

 

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: