Greves em Agosto

Image 23335

Na próxima segunda-feira, dia 14, vão fazer greve os trabalhadores da Resiestrela (Grupo EGF) e da Águas do Tejo Atlântico (AdTA, do grupo Águas de Portugal).
Na empresa de valorização e tratamento de resíduos sólidos da Cova da Beira, são exigidos aumentos salariais, descongelamento das progressões, cumprimento do direito à contratação colectiva e o desbloqueio das negociações do caderno reivindicativo.
Como se explica numa notícia publicada no sítio electrónico do STAL/CGTP-IN, os trabalhadores da Resiestrela «auferem os mais baixos salários das 11 empresas que compõem o Grupo EGF», havendo mesmo quem, «com mais de 15 anos de serviço», esteja a receber o salário mínimo nacional «para tratar, transportar, conduzir ou operar máquinas pesadas e veículos especiais».
A partir do dia 14 inicia-se também uma greve ao trabalho extraordinário, para se prolongar «até à assinatura de um acordo de empresa».
Na Águas do Tejo Atlântico (responsável pela gestão e exploração do sistema multimunicipal de saneamento de águas residuais da Grande Lisboa e Oeste), a greve foi decidida a 27 de Julho, em plenário, por unanimidade, para exigir que a administração responda favoravelmente às reivindicações apresentadas, que se prendem com uniformização de condições de trabalho (valores dos subsídios de transporte, de refeição e de prevenção, bem como a atribuição do subsídio de turno aos trabalhadores abrangidos) face às demais empresas do Grupo AdP.
Na terça-feira, dia 8, a Comissão de Trabalhadores da EPAL considerou justas as reivindicações e manifestou-se solidária com a luta na AdTA, organizada pela comissão intersindical constituída pelo SITE CSRA (sindicato da Fiequimetal/CGTP-IN) e o STAL.

Para 21 de Agosto, está convocada nova greve dos trabalhadores do call center do Hospital Luz Saúde Arrábida, contra a imposição de transferência de local de trabalho, informou o Sindicato da Hotelaria do Norte, salientando que esta medida põe em causa o direito constitucional à conciliação da actividade profissional com a vida pessoal e familiar.
A empresa intimou os trabalhadores do atendimento telefónico do antigo Hospital da Arrábida para se apresentarem a 4 de Setembro noutra unidade hospitalar do grupo, no concelho de Póvoa de Varzim, a mais de 40 quilómetros, sem transportes públicos adequados e com custos avultados.
Ao recusarem esta transferência, os trabalhadores alegaram que a empresa não invocou nenhum motivo de força maior ou imperativo. Desmentem afirmações patronais de que o Grupo Luz Saúde iria concentrar a actividade de call-center no Hospital Luz da Póvoa de Varzim, pois ela vai manter-se noutros hospitais, como o Luz Guimarães.

Foi convocada greve dos inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, para 24 e 25 de Agosto, pelo Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF. Num comunicado, citado pela agência Lusa, refere-se que a luta visa exigir o início das negociações da lei orgânica e do estatuto profissional, a abertura de concurso para admissão de funcionários (está pendente no Ministério das Finanças um pedido para 200 inspectores) e a avaliação profissional necessária para que sejam concretizadas promoções e progressões, inscrevendo a correspondente verba no próximo Orçamento do Estado. É ainda reivindicada a publicação do Regime de Piquete e Prevenção, negociado há um ano e meio, mas que está parado no Ministério das Finanças.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: