1999 – Achado do Disco Celeste de Nebra

Com 32 centímetros de largura e ornamentos em ouro que simulam o sol, a lua e a constelação Plêiades, como aparecia há 3600 anos, o Disco Celeste de Nebra é até à data a representação mais antiga que se conhece da abóbada celeste, o que permite ter uma ideia do conhecimento dos nossos antepassados sobre o curso do universo e a sua interpretação religiosa na época. O disco, que ostenta uma coloração esverdeada devido à patine de carbonato de cobre, faz parte de um tesouro de bronze incluindo duas espadas, duas ferramentas pré-históricas, algumas pulseiras e um cinzel, descoberto ilegalmente por caçadores de metais no Monte de Mittelberg, nas proximidades da cidade de Nebra, em Sachsen-Anhalt, na Alemanha, no Verão de 1999. Após passar pelas mãos de vários intermediários através de uma série de vendas ilegais, o tesouro foi recuperado na Suíça pela polícia, em 2002, passando desde então a fazer parte dos tesouros do Museu Estadual de Pré-História em Halle. Desde Maio de 2008, o disco de Nebra faz parte da exposição permanente do Museu do Estado alemão. O disco era usado como um complexo relógio astronómico para a sincronização dos calendários solar e lunar. Em 2013 passou a constar do registo da Memória do Mundo da UNESCO.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: