Breves
Rouhani e Erdogan reúnem-se em Astana

Os presidentes do Irão, Hassan Rouhani, e da Turquia, Reccep Erdogan, concordaram em reforçar os laços de cooperação entre os dois países. Os dois dirigentes encontraram-se, no sábado, 9, em Astana, a capital do Cazaquistão, à margem da cimeira da Organização de Cooperação Islâmica.

Além das relações bilaterais, Rouhani e Erdogan pediram o fim da violência em Myanmar, de maioria religiosa budista, onde tropas governamentais e milícias são acusadas de perseguir a minoria muçulmana rohingya, no estado de Rakhine.

Há dezenas de milhares de deslocados e muitos estão a refugiar-se no vizinho Bangladesh.


«Segurança regional» junta EUA e Turquia

Os Estados Unidos e a Turquia «enfatizaram o empenho comum» em «trabalhar em conjunto para aumentar a estabilidade regional», anunciou a Casa Branca, depois de uma conversa telefónica, no sábado, entre os presidentes Trump e Erdogan.

O apoio de Washington aos curdos sírios e à sua organização, YPG, considerada «terrorista» por Ankara, tem piorado as tensas relações entre os dois países, aliados no quadro da NATO.

Trump e Erdogan acordaram em reunir-se em finais de Setembro, em Nova Iorque, aquando da Assembleia Geral da ONU.


Curdos do Iraque não adiam referendo

A região curda semi-autónoma do Iraque vai avançar com o referendo sobre a independência, marcado para 25 deste mês, apesar das pressões no sentido de o adiar.

O secretário-geral da Liga Árabe, Ahmed Aboul-Gheit encontrou-se com o presidente curdo Masoud Barzani, em Arbil, a capital regional, pedindo o adiamento do referendo e a abertura de diálogo com Bagdad, sob mediação internacional.

Barzani, contudo, confirmou a realização do referendo, uma «decisão do povo do Curdistão e dos partidos da região» e criticou o governo iraquiano por não cumprir as obrigações com os curdos.