Guiné-Bissau, Cuba e Portugal cooperam na saúde materna e infantil

A Guiné-Bissau, Cuba e Portugal juntaram esforços num projecto pioneiro para redução da mortalidade materno-infantil na nação africana.

O acordo triangular de cooperação entre representantes dos três países foi assinado na sexta-feira, 8, em Lisboa. Participaram a secretária de Estado da Cooperação de Portugal, Teresa Ribeiro; os embaixadores de Cuba, Johana Tablada, e da Guiné-Bissau, Hélder Vaz; o administrador do Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF), Ahmed Zaky; e uma representante dos Serviços Médicos Cubanos, Amor de los Angeles Vega.

O IMVF, uma organização não-governamental para o desenvolvimento, lançou com bons resultados um projecto em pequena escala no âmbito do Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materna e Infantil na Guiné-Bissau. Este projecto- piloto vai estender-se agora a todo o país e chegar à generalidade da população.

A incorporação de especialistas de Cuba visa contribuir para a redução da mortalidade materna, neonatal e infanto-juvenil na Guiné-Bissau e atingir as metas traçadas nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

Na prática, nove especialistas cubanos (incluindo ginecologistas, pediatras e enfermeiros) vão juntar-se a uma equipa de 40 profissionais guineenses para, sob coordenação do IMVF e das autoridades de saúde da Guiné-Bissau, desenvolver este projecto, que terá um impacto positivo na área da saúde materna e infantil do país africano.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: