1983 – Castelo de Tomar património da humanidade

O Castelo de Tomar e Convento de Cristo, cuja origem está intimamente ligada à formação de Portugal, está classificado como património da humanidade e inscrito na lista do património mundial da UNESCO desde 1983. A arquitectura do conjunto edificado foi considerada «representativa de uma obra-prima do génio criativo da humanidade», contribuindo para a sua classificação o facto de estar «directa ou materialmente associado a acontecimentos ou tradições, ideias, crenças ou obras artísticas e literárias com um significado universal». Este importante património é indissociável da presença dos cavaleiros Templários em Portugal, onde chegaram em 1128, numa altura em que a maioria do território da península ibérica estava ocupada pelos reinos islâmicos. É justamente como recompensa pela sua participação nas conquistas de Santarém e de Lisboa (1147) que os Templários recebem de D. Afonso Henriques um vasto território entre Coimbra e Santarém onde fundaram o Castelo e a Vila de Tomar. Dos múltiplos motivos de interesse que distinguem esta joia do património nacional destaca-se a Charola românica da igreja, o claustro de D. João III e a famosa janela manuelina da Sala do Capítulo.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: