Santiago do Cacém reclama medidas efectivas no sector da saúde

O presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, solicitou, dia 4, uma reunião, com carácter de urgência, ao Secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado.

A solicitação prende-se com a existência de graves problemas na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), em particular no Hospital do Litoral Alentejano, nomeadamente por falta de recursos humanos. A situação coloca inclusivamente em risco o funcionamento do serviço de cuidados paliativos e pode levar mesmo ao encerramento do serviço de convalescença, situação confirmada pelo presidente do Conselho de Administração da ULSLA, Luís Matias.

No ofício enviado ao Secretário de Estado da Saúde, Álvaro Beijinha sublinha «a importância deste serviço para a população do município de Santiago do Cacém e de toda a nossa região» e deseja que sejam tomadas «medidas efectivas e urgentes com vista a ultrapassar imediatamente esta situação».

Recorde-se que, em Novembro de 2016, o presidente da autarquia – na altura integrado na comitiva da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) – esteve reunido com Manuel Delgado e, na ocasião, manifestou uma vez mais a sua «preocupação em relação à urgência e ao tempo de espera dos utentes, principalmente pela falta de médicos», referindo também «o número significativo de pessoas sem médico de família».

A ULSLA tem, a nível nacional, o 2.º rácio mais baixo de financiamento por habitante. Isto faz com que a Unidade Local esteja subfinanciada em relação a outras regiões do País. Ainda que Manuel Delgado se tenha comprometido a reavaliar a situação, a verdade é que, ao invés de melhorar, a situação está mesmo a agudizar-se.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: