Na Polónia crescem o racismo e a xenofobia
PCP condena perseguição dos comunistas polacos

REPRESSÃO O Partido Comunista Português «condena e exige o fim das medidas persecutórias e anti-democráticas» levadas a cabo pelas autoridades polacas contra o Partido Comunista daquele país.

Respondendo ao apelo do PC da Polónia para que, a 27 de Novembro, os partidos irmãos condenassem o processo contra si movido sob a acusação  de «promoção da ideologia comunista», o PCP divulgou, nesse mesmo dia, uma nota em que condena as medidas e exige o seu fim, e sublinha que estas «inscrevem-se na tentativa de falsificação reaccionária da história que, de forma caluniosa e inaceitável, procura equiparar fascismo e comunismo, branqueando os crimes do nazi-fascismo e as responsabilidades das grandes potências capitalistas – que abriram caminho ao avanço das hordas hitlerianas e ao desencadear da Segunda Guerra Mundial – e apagando a contribuição dos comunistas, da União Soviética e do sistema socialista para a derrota dos tenebrosos projectos do nazi-fascismo e para os grandes avanços democráticos e progressistas alcançados no século XX».

«O PCP não pode deixar de alertar para o significado de crescentes práticas e concepções anti-democráticas presentes não só em vários países da União Europeia, como inquietantemente manifestadas no próprio quadro das instituições da UE».

Nesse sentido, lê-se ainda na nota, o PCP «tomou a iniciativa de expressar, através dos seus deputados no Parlamento Europeu, a condenação das medidas repressivas e actos de perseguição política levados a cabo pelas autoridades polacas contra comunistas, anti-fascistas e outros democratas na Polónia, considerando que tais medidas e actos assumem uma tão maior gravidade quando na Polónia crescem o racismo e a xenofobia, se destrói símbolos da luta antifascista e da vitória alcançada sobre o nazi-fascismo e se ataca direitos democráticos, políticos, sociais e económicos».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: